Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Sexta 24 de Novembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 24/11/2017
mrv

Suzano tem sete bairros com maior incidência de assassinato, diz PM

02 AGO 2015 - 08h00

Sete bairros de Suzano estão entre os mais violentos, com relação aos índices de homicídios. Segundo a Polícia Militar (PM), na lista dos locais que apresentam maior incidência de assassinatos estão Jardim Colorado, Jardim Belém, Jardim Casa Branca, Jardim Boa Vista, Jardim São José, Palmeiras e Miguel Badra. A PM destacou ainda outros três bairros que figuravam como violentos, mas que neste ano não apresentou nenhuma ocorrência deste tipo de crime. São eles: Jardim Revista, Jardim Maitê e Jardim Monte Sião.

Suzano registrou, nos primeiros seis meses deste ano, 17 casos de homicídios dolosos (com intenção de matar). O que dá uma média de quase três casos por mês. Se a cidade mantiver esta média, até o final do ano o número de homicídios passará dos 30 casos. Para a Organização das Nações Unidas (ONU), uma cidade fora da zona endêmica de violência deve registrar até 10 assassinados para cada 100 mil habitantes. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Suzano possui 282.441 habitantes, ou seja, o número de homicídios não poderia ultrapassar dos 28 casos registrados.

"Os números dos homicídios precisam ser reduzidos em Suzano. Não considero um nível extremamente alarmante, pois há outros locais do País em que esses números praticamente triplicam, mas também não é um indicador satisfatório e precisa ser melhorado", relatou o comandante do 32º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano (BPM/M), tenente-coronel Paulo Sérgio Merino.

Dentre as principais causas dos homicídios em Suzano estão as discussões entre familiares, as brigas em bares e em ruas, as dívidas de tráfico de drogas e os casos em que policiais de folga acabam alvejando criminosos.

Segundo Merino, a dificuldade em se combater os assassinatos está por não serem crimes que sigam uma lógica. "O homicídio está muito relacionado à relação interpessoal. Aquele que mata vê a vida do outro como algo sem importância. Alguém é ofendido e acha que aquilo já é motivo para tirar a vida de alguém. Ou seja, uma ofensa vale mais que a vida".

Para tentar amenizar esta estatística, a PM tem intensificado as operações em bares na tentativa de coibir as brigas antes que elas resultem em assassinatos. Além de investir no policiamento preventivo nas regiões com maior incidência do crime e onde há maior casos de tráfico de entorpecentes.

Outro ponto levantado pelo comandante é que a maioria dos assassinatos ocorre em locais onde o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é baixo. "Há única lógica seguida por esse tipo de crime é que eles acabam predominando nos lugares onde há uma ausência maior de recursos e de ações por parte do governo. Além disso, o crescimento populacional exagerado também leva a um maior índice do crime".

A PM ressaltou também que há muitos casos registrados em Suzano, mas que não são praticados na cidade. Assim a cidade passa a ser um ponto de desova de cadáveres. Dos 17 crimes registrados neste ano, 15 foram cometidos por arma de fogo e dois com arma branca (faca).

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias