Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Logo de aniversário de 60 anos
quinta 13 de maio de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 12/05/2021
COLUNA

Suami Paula de Azevedo

É escritor, responsável pela Mirambava Editora, palestrante e professor universitário. E-mail: suamiazevedo@uol.com.br

Repaginando

05 DEZ 2020 - 05h00
Chegou o mês fim de ano. Na vida tradicional já estaríamos repensando o que fizemos, e não fizemos, neste ano, e pensando no que poderemos fazer no ano próximo Pensaríamos no nosso lado pessoal como no profissional. Com certeza, iríamos querer terminar bem estas poucas semanas antes do que viria. Cheios de programações, algumas em curso. Ainda que nem tudo costume vir de surpresa, uma grande maioria do que costuma acontecer já estava, mais ou menos prevista, se é que não programada. Mas, ué, por que parou? 
Que nada! mantenha seus planos. Claro, ciente de que nem tudo será tão plausível, aceito, aceitável, possível. As coisas andam meio dispersas ante as nossas ideias. Mas, jamais vamos poder deixar de projetar nossas vontades, desejos.
Fui por muitos anos Professor de Gestão e Gestor. E quem é da área sabe bem, ficamos meio amarrados em tempo e pessoas. E sempre vem umas dicas desse fazer. Pois é, sempre temos de aprender a administrar as nossas relações com as pessoas dentro do tempo. 
É tolice tentar ser amado por todo mundo. Principalmente se você tem algum cargo de chefia, isso não acontece. Mas dá para ser entendido pela maioria, até mesmo ser bem visto pela maioria. É um processo, vai se construindo.
E temos também de saber administrar o nosso tempo. E, todos nos damos conta de que o tempo é escasso, especialmente nesta época, quando temos tanto a fazer. Então, vamos reconhecer os casos mais urgentes, às vezes temos de saber identificar as prioridades. Talvez esteja aí o ponto principal de agora.
Mesmo com todas as circunstâncias estranhas, diversas, variantes, algumas que nem podemos ainda saber se serão possíveis, viáveis. Mas com todas essas ignorâncias e diversidades não podemos desistir. Temos de nos propor. 
Sei que não podemos nem deixar de avaliar o que vivemos, ou não. Mesmo neste momento também todos estão fazendo avaliações do que se fez durante o ano, ou deixamos de fazer. Avalie, sem medo, mas também sem ser pessimista nem ser o pretensioso detentor de todos os acertos. 
No trabalho (ou na falta dele), especialmente, pense no que aprendeu com os acertos e também com os erros. Avalie. Troque ideias neste fim de ano, com os colegas de trabalho, junto ou digital, a distância, mas também com os superiores, se tiver essa possibilidade.
Na vida pessoal, converse com os parentes e amigos sobre os seus planos passados e o que conseguiu no correr do ano ante todas essas peripécias que vivenciamos. Tente partilhar com alguém. Esse também pode ser um tempo de meditação, de reflexão, especialmente com esse isolamento e, também de seu tanto de solidão. 
Muita gente pensa na carreira como uma coisa externa a si mesmo. É um equívoco. A carreira só se desenvolve se ela está dentro de nós, se a temos como um prazer pessoal, embora sabendo dos seus entraves, das suas dificuldades. Mas, não esqueça, todos os planos não podem ser maiores do que as suas condições, inclusive financeiras. E, se você trabalhar bem, a sorte lhe virá, com certeza. 
Olhe a sua frente! Esperanças se consolidam e se erguem.
SOUZA CAFÉ
BANNER APS DESKTOP

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias