Envie seu vídeo(11) 4745-6900
sábado 20 de agosto de 2022

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 19/08/2022
SESC AGOSTO 2022
COLUNA

Sueli Barão

É evangélica, professora escreve aos domingos

Um coração quebrantado

05 JUN 2022 - 05h00

Não devemos confundir persistência com teimosia, que é o apego obstinado a uma ideia, a um conceito, caminho, a uma prática. Pessoas teimosas dificilmente mudam de opinião, são inflexíveis. Não consideram que podem estar equivocadas em sua forma de pensar e de agir. Não param para refletir e tão pouco ouvir conselhos. Se um cristão for considerado "teimoso" por fazer o que é certo biblicamente, ainda que isso signifique caminhar na contramão do sistema do mundo, tudo bem! Mas difícil é quando a teimosia se manifesta como rebeldia! No deserto do Sinai, a caminho da Terra Prometida, o povo hebreu demonstrou a sua teimosia e rebeldia. Rebelou-se contra os líderes e contra o próprio Deus. (Números 14:1-25) Era um povo de dura cerviz. O que significa isso? Povo de coração duro, resistente, irredutível. Povo que não aceitava ser tirado da posição de escravo para viver o propósito elevado de Deus, porque havia se acostumado com as "migalhas" dos egípcios. Quantos não estão agindo assim em relação a Deus?! Conhecem a Sua Palavra, sabem o que é certo fazer, mas preferem fazer as coisas do seu jeito. Agem como aquele que constrói a sua casa na areia. 
Podemos construir nossas vidas segundo os padrões de Deus e de Sua Palavra, ou podemos nos entregar a uma vida emancipada, vivendo conforme a nossa vontade. Enquanto insistirmos em nossos maus caminhos, estaremos longe de Deus e de tudo a que uma vida de rendição e obediência pode levar. Diante da rebelião, mesmo com a intercessão de Moisés, houve um juízo de Deus para o povo: "Nenhum deles chegará a ver a terra que prometi com juramento aos seus antepassados. Ninguém que Me tratou com desprezo a verá. Mas, como o meu servo Calebe tem outro espírito e me segue com integridade, Eu o farei entrar na terra que foi observar, e seus descendentes a herdarão". (Números 14:23-25) "Cairão neste deserto os cadáveres de todos vocês, de vinte anos para cima, que foram contados no recenseamento e que se queixaram contra Mim". (v. 29) Sentença dura para aquele povo de dura cerviz! Deus é amor, graça e misericórdia. Sim, Ele é. Não tem prazer no mal do homem. Ele quer o nosso bem. Mas chega um momento em que Ele diz - "Basta!". O preço da teimosia contra a vontade de Deus é alto. Deus quer que tenhamos um coração quebrantado, rendido a Ele. Um coração quebrantado é um coração que não está endurecido, que não é resistente, é um coração "molinho", que pode ser moldado pelo Senhor. 
No Salmo 51:17, o rei Davi ressalta que Deus não despreza um coração contrito e quebrantado. Sem rendição não há transformação! Se Davi permanecesse em sua teimosia e rebeldia, sem confessar o seu pecado a Deus com real arrependimento, ele estaria perdido! Lembremos do publicano da parábola contada por Jesus, registrada em Lucas 18:9-14! Enquanto o fariseu se gabava de suas qualidades e de seus feitos religiosos, o publicano, de longe, com a cabeça abaixada, por se considerar indigno, clamava pela misericórdia de Deus - "Ó Deus, tem misericórdia de mim, pois sou pecador". Esse reconhecimento do que somos, na verdade, revela o nosso quebrantamento diante de Deus. Reconhecemos as nossas fraquezas com humildade, sabendo que precisamos da ajuda de Deus para sermos transformados e restaurados! 

 

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias