Envie seu vídeo(11) 4745-6900
sábado 20 de agosto de 2022

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 20/08/2022
SESC AGOSTO 2022
COLUNA

Sueli Barão

É evangélica, professora escreve aos domingos

Viver em segurança

27 MAR 2022 - 05h00

"Viver em segurança" - quem não quer? Buscamos a tal da segurança, pensando que vamos encontrá-la em alguém, em alguma condição favorável, nos bens dessa terra, ou qualquer outro fator externo. Mas nada disso pode-nos dar segurança. Temos vivido dias difíceis em que a "segurança" de todos está em algum nível ameaçada. Mal acabamos de enfrentar os efeitos devastadores da COVID, e já estamos diante de uma guerra que, direta ou indiretamente, afeta a todos. Por uma questão de sobrevivência, vamos em direção a lugares ou ambientes onde a nossa integridade física e psicológica esteja menos ameaçada, o que temos visto acontecer com os ucranianos que estão fugindo da guerra. Não existem situações e lugares plenamente seguros neste mundo. De um minuto para outro tudo pode mudar! E, muitas vezes, não estamos preparados para essas mudanças. Até as construções mais sólidas podem desabar, ou mesmo montanhas virem abaixo, levando com elas o que encontram pela frente. Ninguém está seguro, seja rico ou pobre. O imprevisto vem a todos. A nossa alma só repousa segura em Deus, quando depositamos N'Ele toda a nossa confiança. Isso não significa que estaremos sempre em uma situação confortável ou favorável, mas sim que podemos contar com os cuidados do Pai em qualquer situação. 
Vendo as imagens do cenário de destruição nas cidades da Ucrânia, podemos imaginar o que aquele povo tem passado. Sabemos que há muitas guerras acontecendo no mundo. E muitas vezes nos esquecemos disso. Uma cidade cercada tem a sua integridade ameaçada - o governo, os cidadãos, os bens patrimoniais, a sua autoestima. O texto de II Reis 6:24-33 relata essa realidade. Bem-Hadade, rei da Síria, sitiou Samaria. A cidade ficou completamente desestruturada. Houve grande fome. Os habitantes da cidade ficaram desesperados. O caos foi instalado. Uma cidade sitiada fica completamente fragilizada. Os valores morais se perdem. A vida passa a não valer nada. O governo fica exposto. No caso de Samaria, o rei rasgou as vestes. Vestes de vergonha, de humilhação, de impotência. O que fazer? Mas... alguém se levantou para trazer esperança. O profeta Eliseu declarou uma situação diferente para aquele contexto: "Amanhã não continuará mais assim". (II Reis 7:1-2) Contudo, o coração do rei estava confiante no Capitão, que duvidava da voz do profeta e do poder de Deus. Mas tudo aconteceu como o profeta de Deus falara. 
Façamos de Deus o nosso refúgio, a nossa fortaleza, o nosso socorro bem presente na angústia. Se colocarmos a nossa confiança em lugares, coisas, pessoas, certamente, ficaremos frustrados. A confiança de Noé não estava na arca que construiu nem no monte em que ela pousou. Aquela família viu a destruição ao redor, mas foi preservada, porque acreditou nas palavras e promessas do Senhor. Quando a nossa confiança está em Deus, não ficamos reféns do medo. Quem tem Jesus tem segurança interior, porque sabe que Ele não perdeu o controle do barco de nossa vida, nem da história, o que inclui todos os acontecimentos do mundo. Que, assim como fez o rei Davi, possamos declarar: "Em paz me deito e logo adormeço, pois só Tu, Senhor, me fazes viver em segurança". (Salmo 4:8) Esse é o sonho de muita gente - dormir tranquilamente. Fizemos o que deveríamos ter feito? Podemos repousar tranquilos. Não fizemos? Peçamos perdão a Deus e descansemos em Sua maravilhosa graça, consertando o nosso caminho!

 

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias