Envie seu vídeo(11) 97569-1373
domingo 24 de janeiro de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 24/01/2021
CENTRO MÉDICO CLUBE DS  - OFTALMOLOGIA
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO

Diego Maradona morre aos 60 anos

Ele sofreu uma parada cardiorrespiratória. As informações são do jornal argentino Clarín

Por de Suzano25 NOV 2020 - 13h37
Diego Maradona morre aos 60 anosFoto: Tony Marshall - EMPICS/PA

O mundo do futebol está de luto pela morte de Diego Armando Maradona. Um dos maiores jogadores de todos os tempos, o argentino faleceu nesta quarta-feira (25), aos 60 anos, devido a um ataque cardiorrespiratório.

As diferentes redes sociais foram tomadas por homenagens ao ídolo. O ex-atacante Careca - que Maradona revelou ser o melhor companheiro de ataque que já teve - recordou a parceria entre eles no Napoli, da Itália, e a amizade entre eles, chamando o argentino de "irmão".

Time onde Maradona mais brilhou no futebol europeu, o Napoli mudou a foto dos perfis nas redes sociais para um escudo na cor preta, sem o tradicional azul, em sinal de luto. Em uma das postagens ao destinadas ao craque, o clube disse que "o mundo aguarda nossas palavras, mas não há palavras para descrever a dor que estamos passando. É o momento de lamentar". A conta oficial do Napoli no Twitter vem replicando desde cedo todas as homenagens prestadas por clubes europeus - Liverpool, Bayern de Munique, Barcelona e Milan, entre outros - e também de times brasileiros.

O argentino é idolatrado em Nápoles de tal forma que o prefeito local, Luigi de Magistris, pretende mudar o nome do estádio municipal, chamado San Paolo, para Diego Armando Maradona. Vestindo a camisa do Napoli entre 1984 e 1990, o ex-jogador foi bicampeão italiano e venceu também a Copa e a Supercopa da Itália, além da Copa da Uefa.

"Diego fez nosso povo sonhar. Ele resgatou Nápoles com sua genialidade. Em 2017, tornou-se cidadão honorário. Diego, napolitano e argentino, você nos deu alegria e felicidade", escreveu Magistris.

Companheiros de Maradona na seleção argentina, como os ex-atacantes Gabriel Batistuta Claudio Cannigia, também lamentaram o falecimento do ídolo pelas redes sociais. Em depoimento à agência de notícias Reuters, o ex-técnico César Luis Menotti disse estar "destruído" com a morte do craque. "Não tenho nenhuma explicação, muita dor. Não há opinião que sirva diante disso, não tenho cabeça", declarou Menotti.

O atacante Lionel Messi, comandado por Maradona quando o astro dirigiu a seleção argentina, na Copa de 2010, foi outro a se manifestar. No Instagram, o camisa 10 do Barcelona, da Espanha, escreveu que o ídolo "nos deixa, mas não se vai, porque Diego é eterno”.

O falecimento de Maradona não comoveu somente aqueles que conviveram ativamente com ele. Atacante da Juventus, da Itália, o português Cristiano Ronaldo disse, pelo Instagram, que se despedia de um "amigo" e que o mundo dava adeus a um "gênio eterno" e a um "mágico inigualável", que não será esquecido. "Parte demasiado cedo, mas deixa um legado sem limites e um vazio que jamais será preenchido. Descansa em paz, craque", comentou o camisa 7.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias