Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Quinta 23 de Novembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 23/11/2017
mrv

Garota é esfaqueada pelo próprio padrasto

26 JUN 2015 - 08h00

Um homem, de 29 anos, foi preso suspeito de esfaquear e tentar molestar a própria enteada, de 9 anos, em Mogi das Cruzes. O caso aconteceu na tarde de quarta-feira, na Rua Antônio Gonçalves dos Santos, no Jardim Universo. A garota foi encaminhada e permanece internada no Hospital, porém não corre risco de morte.

Preliminarmente, a Polícia Militar (PM) foi acionada a comparecer no posto de saúde do Jardim Universo, pois havia uma criança com diversos hematomas no rosto, cabeça e costas e ferimentos ocasionados por facadas. Quando chegaram à unidade médica, os policiais conseguiram conversar rapidamente com a criança, que detalhou o acontecido.

A garota disse aos policiais que havia chegado da escola, realizado as tarefas domiciliares e, depois de terminá-las, ido se deitar no quarto. Na sequência, o padrasto chegou e pediu para deitar-se ao lado. Segundo a criança, o suspeito não chegou a molestá-la.

Em determinado momento, o homem começou a agredi-la com socos, chutes e, repentinamente, cessou as agressões. Contudo, ele retornou ao quarto com uma faca e começou a golpeá-la. Temendo que fosse morta, a criança correu ao banheiro, trancou a porta e somente saiu quando a mãe chegou do serviço, horas depois.

Depois de ouvirem a versão da garota, os policiais encontraram o padrasto na recepção da unidade. Brevemente interrogado, o suspeito negou as agressões, porém, quando a polícia deu voz de prisão, o homem resistiu e precisou ser imobilizado e conduzido à Delegacia.

A polícia foi à residência onde aconteceu o crime com o objetivo de encontrar a arma do crime, mas não obteve êxito.

O caso foi registrado como tentativa de homicídio qualificado. O suspeito foi encaminhado à Cadeia Pública de Mogi das Cruzes.

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, a mãe da criança não permitiu que fosse repassado à imprensa o estado de saúde.

INVESTIGAÇÃO

A Polícia Civil abriu inquérito para analisar o caso. Após receber alta, a criança deverá ser solicitada, junto com a mãe, para prestar depoimento. Além disso, a polícia apura se o homem estava sob o efeito de drogas no momento do crime.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias