quarta 28 de fevereiro de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 28/02/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Julgamento

Policial acusada de assassinar irmão de vereadora de Suzano vai a júri popular nesta quinta

Nagmar Pinheiro Pereira será julgada no Fórum Criminal da Barra Funda, em São Paulo; caso corre em segredo de justiça

26 abril 2023 - 19h39Por Daniel Marques - de São Paulo

A cabo da Polícia Militar, Nagmar Pinheiro Pereira, será julgada em júri popular nesta quinta-feira (27) no Fórum Criminal da Barra Funda, na Zona Oeste de São Paulo. Ela é apontada como autora do assassinato do próprio esposo, o também cabo da Polícia Militar Neilo Rego Lione, irmão da vereadora de Suzano Gerice Lione (PL).

O crime aconteceu em janeiro de 2020. O policial foi alvejado e teve o corpo parcialmente carbonizado. Ele foi encontrado dentro de um carro na Estrada Morro do Sabão, no bairro Cabuçu, em Guarulhos. De acordo com o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), o júri está confirmado para esta quinta, mas o processo corre em segredo de justiça.

Em entrevista ao DS, a vereadora Gerice Lione confirmou que o julgamento está marcado para iniciar às 10 horas. A investigação apontou que Nagmar teria recebido ajuda de outra policial. A Corregedoria da Polícia Militar e o Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP) de Guarulhos pediram a prisão preventiva de ambas no dia 21 de janeiro de 2020, três dias após o corpo ser encontrado. A família do policial e a Corregedoria acreditam que o crime foi passional.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP), o caso foi investigado por meio de inquérito instaurado pelo SHPP de Guarulhos e relatado à Justiça em março, com a prisão preventiva da esposa da vítima. O inquérito, instaurado pela Corregedoria da PM, também foi concluído e encaminhado à Justiça Militar, cujo teor é de caráter sigiloso. Ainda de acordo com a SSP, "a segunda policial envolvida está em liberdade e desempenha funções administrativas no 5º BPM/M".

“A gente espera que seja a pena máxima, e como estava em segredo de justiça, a gente nem sabe na verdade o que a defesa dela (acusada) está falando. Eles tinham dois filhos. A filha dela falou no depoimento, se referindo ao pai como uma boa pessoa, que nunca a agrediu e que sempre foi um bom pai. Nunca desrespeitou a esposa fisicamente. Por parte da nossa defesa, estamos tranquilos quanto à índole do meu irmão. Eles não tinham um bom casamento. Ela não aceitava a separação. Esperamos a pena máxima, mas não sabemos como vai ser na cabeça do juiz”, disse Gerice ao DS.

O caso

O corpo do cabo Neilo Rego Lione, do 5° Batalhão da Polícia Militar Metropolitano (BPM/M) de São Paulo, foi encontrado com perfurações de bala, enrolado em um cobertor e parcialmente carbonizado na manhã do dia 18 de janeiro de 2020 em Guarulhos. 

A vítima foi reconhecida por um motorista do Batalhão. O corpo estava no banco traseiro de um Honda Fit.

O policial era o terceiro de sete irmãos da família. Dias após o crime, Gerice Lione concedeu entrevista coletiva à imprensa e disse que a família foi orientada a não se pronunciar sobre o caso, para não prejudicar as investigações. Mas diante do anúncio de que duas policiais, incluindo a esposa de Lione, eram investigadas pelo SHPP de Guarulhos, a então presidente da Câmara de Suzano afirmou que o irmão “queria se separar”, mas que a esposa “não queria”.

O DS não conseguiu contato com a defesa de Nagmar Pinheiro Pereira, mas a reportagem será atualizada caso haja um posicionamento dela.