Envie seu vídeo(11) 4745-6900
domingo 28 de fevereiro de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 28/02/2021
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
CENTRO MÉDICO
Estimativa do sindicato

14 mil comércios do Alto Tietê seguem com medidas referentes à fase amarela

Decisão de permanência de fase agrada o Sindicato do Comercio Varejista

Por Matheus Cruz - de Suzano17 JAN 2021 - 17h00
Suzano e região continuam na fase amarelaFoto: Regiane Bento/DS
O Sindicato do Comércio Varejista (Sincomercio) recebeu com alivio a notícia da continuidade da fase amarela em toda a região do Alto Tietê, que possui pelo menos 14 mil comércios. Do número, pelo menos 6 mil comércios representam restaurantes, bares e lanchonetes que poderiam ser atingidos com uma possível regressão à fase laranja. Já que ela determina que não é permitido o consumo de alimentos e bebidas nas dependências dos estabelecimentos.
 
De acordo com o presidente do sindicato, Valterli Martinez, a decisão é justa e traz um grande alivio para os comerciantes. “É uma ótima notícia que representa todas as ações de orientação que estamos realizando junto aos comerciantes. Mas é necessário que todos sigam com os cuidados, ninguém pode relaxar. Foi uma decisão justa”, disse.
 
Os comerciantes de Suzano e região temiam um possível retorno para a fase laranja do Plano São Paulo, já que a fase estabelece restrições que poderiam gerar maiores prejuízos para os comércios do ramo alimentício.
 
Diferente da fase amarela do Plano São Paulo de Retomada Econômica, na fase laranja, shoppings centers permanecem aberto, entretanto, ficaria proibida a abertura das praças de alimentação. Comércios de rua e serviços em geral podem funcionar com capacidade limitada a 20%, além do horário que fica reduzido para quatro horas seguidas e a obrigatoriedade da continuidade dos protocolos padrão – como aferição de temperatura, uso de álcool em gel e máscaras. 
 
Além disso, também ficaria proibida a abertura de bares e restaurantes para consumo local, salões de beleza e barbearias, academias de esportes em todas as modalidades e outras atividades que geram aglomeração. 
 
Segundo o representante do Sincomércio, os comércios do ramo alimentício foram os maiores beneficiados com a permanência da fase amarela. Mas são também os que devem se atentar ainda mais com os cuidados sanitários, afim de evitar uma retroação de fase na próxima semana.
 
“É preciso que mantenham e reforcem todas as ações de cuidados sanitários. Só assim poderão continuar recebendo clientes e evitando prejuízos. Não podemos relaxar. Precisamos continuar evoluindo de fase”, disse.
 
Critérios
 
O Sindicato vem atuando constantemente na cobrança pela adoção de melhores critérios de redefinição do Plano São Paulo. Como publicado pelo DS no final de dezembro, o sindicato avaliou a decisão do estado de São Paulo em retroagir para fase vermelha como “incoerente e desorganizada”, já que foi anunciada sem aviso prévio.
 
Segundo o presidente da entidade, hoje a comunicação está melhor. “Nossa cobrança, na realidade, é por clareza. Naquele momento as coisas estavam indefinidas. Ninguém sabia como seria. Agora eles estão começando a ter critérios mais assertivos com as redefinições de fases. A decisão de hoje mostrou isso”, disse.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias