Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quarta 02 de dezembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 30/11/2020
GOLDSTAR
Sec de Governo - Educação Kit de Atividades - Dezembro
GOLDSTAR
ERICA ROMÃO
Reisinger Ferreira
Candido

‘Foi a decisão mais difícil que tomei’, diz Marcelo Candido ao deixar o PT

25 SET 2015 - 22h20
O ex-prefeito Marcelo Candido apresentou, na tarde de ontem, o pedido de desfiliação do Partido dos Trabalhadores (PT) de Suzano. A carta foi entregue pessoalmente ao presidente do Diretório petista, Reginaldo Macedo. A mudança deve alterar o cenário das disputas eleitorais em 2016. Candido foi prefeito por dois mandatos (2005-2008 e 2009-2012).

O ex-prefeito deve divulgar oficialmente, nos próximos dias, o partido pelo qual vai disputar as eleições do próximo ano. Ele pode ir para o PSB, PDT, PR ou até PMDB, porém estes dois últimos são da base aliada do prefeito Paulo Tokuzumi (PSDB), o que torna as duas possibilidades mais difíceis.

Na carta entregue do PT, Candido agradeceu aos mais de 30 anos dedicados ao diretório e afirmou que foi uma decisão difícil. As especulações sobre sua saída existiam há alguns meses. “Após mais de 30 anos de militância partidária no PT protocolei meu pedido de desfiliação do partido no Diário Municipal de Suzano. Certamente, foi a decisão mais difícil que tomei ao longo dos meus 46 anos de vida. Ficará marcada em mim a experiência inigualável de ter sido integrante da maior agremiação política criada pelos trabalhadores em todo mundo”, disse na carta encaminhada ao partido. Ontem, ele preferiu não conceder entrevistas.

Nome forte dentro do PT, com influência dentro dos diretórios estadual e nacional, no seu pedido de desfiliação, Candido lembrou de seu pai José de Souza Candido, que foi deputado estadual pelo PT e faleceu em 2012. “Agradeço imensamente a um número incontestável de pessoas com que aprendi, convivi e compartilhei dessa experiência. Ficam a memória inesgotável dos exemplos de meu pai, seu significado e todo ensinamento a respeito do que deve ser um partido político: a mais poderosa ferramenta em favor da justiça e da paz”.

Entre os partidos pelos quais Candido pode se filiar, o PSB figura entre os fortes candidatos. Candido teria conversado, inclusive, com o vice-governador do Estado e presidente estadual do partido, Márcio França. A filiação para qualquer partido deve ser feita até a próxima sexta-feira, prazo final determinado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Candido e o PSB estariam há um ano conversando sobre a possibilidade de filiação. “Ele tem um convite do PSB para ir para o partido, mas ainda não há nada definido. Ele falou com o vice-governador Márcio França, mas ainda não está definido. As chances são grandes, mas não há nada fechado”, afirmou o vice-presidente do Diretório Estadual do PSB, Jorge Abissamra. “Chegamos a conversar sobre algumas possibilidades. Esta é alguma delas”.

Candido iniciou sua carreira política como assessor político de seu pai, então vereador por Suzano. Em 2002 foi eleito deputado estadual, mas deixou a cadeira para disputar as eleições municipais de 2004, quando foi eleito e reeleito em 2008, com 51% dos votos válidos. Foi neste segundo mandato que ele enfrentou um dos momentos mais difíceis, a perda de seu pai, então deputado estadual.
 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias