Envie seu vídeo(11) 97569-1373
domingo 21 de outubro de 2018

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 20/10/2018
PMMC OUTUBRO - MOGI + ROSA
PMMC OUTUBRO -  EDUCAÇÃO
MRV - CONQUISTE SEU APÊ
Costa Rica

Comerciantes cobram agilidade nas obras de recuperação do Rodoanel

13 MAI 2015 - 08h01

Os comerciantes da Avenida Brasil, em Suzano, ainda esperam por melhorias no local que foi interditado para a construção do Trecho Leste do Rodoanel Mário Covas (SP-21). Há acúmulo de entulho e buracos. Diversos abaixo-assinados foram feitos na tentativa de resolver o problema. Uma faixa com reclamação também foi colocada na via.

De acordo com os relatos, o maior prejuízo é a falta de vagas para os clientes estacionarem seus veículos. A insatisfação é tão grande para os comerciantes, que muitos já pensam em fechar as portas.

"Eu acho que nem adianta. Estou querendo sumir daqui. Aqui está uma vergonha", contou o proprietário de uma loja de autopeças, Aguinaldo Brecco Guirao. Ele disse que várias tentativas foram feitas para melhorar a situação, mas até agora ninguém assume a responsabilidade. "Desde que começaram as obras, a única coisa que fizeram foi cortar o mato e ainda deixaram os sacos por aqui", reclamou.

Além da queda do movimento que chega a 75%, segundo os comerciantes, outro problema acaba agravando a situação. Os carros que passam que pela rua espalham poeira e atingem os veículos que ficam expostos. "Aqui é um lugar abandonado. Antes do Rodoanel, o movimento era bem maior. Agora, com o pó, suja muito e não podemos lavar todo dia", explicou o vendedor Bruno Rodrigues. Ele contou que para manter os carros limpos foi necessário recorrer a produtos mais caros e de lavagem a seco. "Se lavarmos todo dia corremos o risco de ser multados", completou. Revoltados, os comerciantes se uniram e mandaram fazer uma faixa com palavras de protesto, mas ela já foi retirada.

Antes das obras, a avenida era de mão dupla. Agora, apenas um lado pode ser utilizado pelos condutores. "Nem lugar para estacionar tem aqui. O movimento caiu porque ninguém consegue parar", disse o vendedor José Fernandes.



ARTESP

Procurada pela reportagem do DS, a concessionária admitiu que haja inúmeras obrigações assumidas, principalmente, sobre a questão da recuperação das estradas municipais que sofreram danos durante o processo de obras. Mas, explicou que deverá intensificar as ações de recuperação assim que finalizar a construção do Trecho Leste do Rodoanel.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias