Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Quinta 23 de Novembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 23/11/2017
mrv

Cruzamentos das linhas férreas precisam de cancelas e sinalização

29 MAR 2015 - 08h01

As passagens de nível em Suzano mantêm sinalização com placas indicando a parada obrigatória para os motoristas, porém nem todos os cruzamentos possuem cancelas, semáforos ou sinalização horizontal, que são as pinturas de solo.

A passagem de nível localizada no Jardim Colorado é uma das mais precárias de Suzano. Com apenas uma placa indicando "Pare, Olhe, Escute", o local não conta com cancelas ou semáforos.

O local ainda é mal iluminado o que faz aumentar o perigo durante a noite. A Rodovia Índio-Tibiriçá (SP-31) conta com duas intersecções férreas. São as duas da cidade que possuem cancela eletrônica, sinalização vertical (placas) e horizontal (pintura de solo), além de semáforo que indica a chegada do trem. A primeira está localizada na Vila Ipelândia e a segunda na Vila Fátima, no Distrito de Palmeiras. Mesmo com os equipamentos de segurança instalados no local, ainda há reclamações de problemas com o funcionamento das cancelas eletrônicas, que costumam fechar sem que algum trem esteja vindo. Em nenhum dos locais existem profissionais controlando o equipamento ou o trânsito.

O Distrito de Palmeiras conta ainda com mais uma passagem de nível, localizada na Avenida Avelino Mariano Pena (antiga Estrada do Caulim). Também sem cancelas ou semáforos, o cruzamento conta apenas com calçadas com proteção para os pedestres e placas sinalizadoras. Neste mesmo trecho ocorreu, em 2012, um acidente envolvendo um ônibus escolar. Na época, mesmo com o maquinista buzinando, o motorista do ônibus não ouviu e passou direto pelos trilhos. A composição arrastou o veículo por 100 metros. Somente o motorista e uma monitora estavam no ônibus no momento do acidente. Ambos tiveram ferimentos leves.

MORADORES

Em vários pontos de Suzano, onde há passagens de nível, motoristas e pedestres precisam redobrar a atenção já que a sinalização é precária e as cancelas, quando existem, apresentam problemas. A falta de segurança das linhas férreas tem causado preocupação aos moradores.

"Passo sempre por aqui e acho muito perigoso. Há um tempo surgiram rumores que fariam uma passarela para a passagem de pedestres e veículos, mas até agora nada. A noite é ainda pior, pois fica muito escuro e não dá pra ver nem mesmo as placas", relatou a suzanense Jacqueline Nascimento, de 25 anos, e que precisa passar diariamente pelo cruzamento férreo do Jardim Colorado. Ela contou ainda que a única medida que fazem no local é a distribuição de panfletos que mostram os cuidados que se deve ter ao atravessar a linha férrea.

De acordo com o Código Nacional de Trânsito, a linha férrea é sempre preferencial e atravessá-la sem parar é infração gravíssima. Porém, nos lugares onde não há presença de cancelas, muitos motoristas acabam ignorando a buzina dos trens. "Tem carros que respeitam a buzina dos trens e outros não. Seria legal se colocassem uma cancela", disse a moradora Jenifer Sacramento, que precisa passar constantemente pela intersecção localizada na Avenida Avelino Mariano Pena (antiga Estrada do Caulim), no Distrito de Palmeiras.

E mesmo nos locais onde existem as cancelas eletrônicas, os problemas aparecem e levam perigo aos moradores.

"A sinalização por aqui é boa, o problema está na cancela que muitas das vezes fecha sem que nenhum trem esteja passando. Daí algum motorista sai e abre ela manualmente escorando com uma madeira", explicou Maria José, que vende frutas na Rodovia Índio Tibiriçá e frequentemente presencia o problema na passagem de nível localizada na Vila Fátima.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias