Envie seu vídeo(11) 4745-6900
quinta 30 de junho de 2022

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 30/06/2022
PREFEITURA DE MOGI CAMPANHA: CENTRO DE LUTAS PI 50364
CONSTRUTORA PATRIANI
PREFEITURA DE MOGI CAMPANHA: INSTITUCIONAL 2022 PI 50344
PREFEITURA DE MOGI CAMPANHA: PRO MULHER 2022 PI 50288
SECRETARIA DO GOVERNO PI 349.798

Hospital Santa Maria inaugura Maternidade hoje em Suzano

21 JAN 2017 - 07h00

O Hospital Santa Maria, do Grupo Samed, inaugura hoje, às 11 horas, sua Maternidade.

A promessa de entrega em janeiro havia sido feita no final do ano passado, durante vistoria no prédio.

O serviço estará em funcionamento com dez leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) neonatal, berçário e centro cirúrgico obstétrico.

Está previsto a capacidade para 150 partos por mês. O local, no primeiro piso, em que está implantada a maternidade ainda recebia reformas até o final do ano passado. A UTI para adultos já está em funcionamento.

A reforma da unidade está ocorrendo desde o ano passado. Já foram investidos R$ 8 milhões para a primeira fase, com a implantação do ProntoSocorro (PS) e mais R$ 4 milhões para a segunda fase, que incluem a maternidade. Os diretores da Samed estimaram, em entrevista no final do ano passado, que até a conclusão das obras, o investimento total deve chegar a R$ 15 milhões.

O objetivo é de que a maternidade esteja funcionando, atendendo todas as operadoras de saúde e a população de Suzano. Atualmente, o município conta apenas com a maternidade da Santa Casa.

“Durante a reforma do serviço, fizemos um apanhado na região para saber quais eram as necessidades maiores e, além de um hospital geral que houvesse internação clinica de UTI, a carência de maternidade era muito grande, então fez com que a gente adiantasse os planos e construísse também a maternidade”, contou Ruy Hernandes, diretor-técnico do grupo Samed, em entrevista no final do ano passado.

Na ocasião, junto com ele, estavam os diretores-técnicos Luis Oliveira, Acácio Toge e Paulo Fascina.

De acordo com Oliveira, a implantação da maternidade é complexa. “Envolve leito de internação, UTI neonatal e centro cirúrgico totalmente voltado para a maternidade. Precisa estar os três em funcionamento. Entre médicos e enfermeiros, um pronto atendimento e ginecologia, porque temos que dar respaldo a gestante, no mínimo umas 60 pessoas estarão trabalhando”, contou.

ALTO RISCO O hospital será o único da região que poderá atender gestantes em alto risco, já que contarão com a UTI neonatal e a UTI para adultos, que dará respaldo para o atendimento de mãe e bebê em caso de complicações.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias