sábado 20 de julho de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 19/07/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Cidades

Instalação de equipamentos públicos vai unir os dois lados da cidade

02 maio 2015 - 08h01

A instalação de equipamentos públicos e serviços diferenciados na área periférica do município visam unir os dois lados da cidade (Norte e Centro), ambos separados pela Estação Suzano. A conclusão da nova estação, em construção há quase três anos, também deve trazer uma série de melhorias ao município, como projeto paisagístico nos arredores do empreendimento e implantação de sistema de drenagem. Medidas como estas, são as propostas da administração municipal e da gestora do serviço, a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), para promover a inserção urbana entre a estação e a comunidade, além de agregar valor ao entorno da estrutura. O desenvolvimento da cidade sempre esteve ligado às alterações do projeto ferroviário. O que a princípio servia apenas como posto de abastecimento de lenha de locomotivas se tornou, em curto espaço de tempo, o centro para o crescimento financeiro e social do município. De acordo com o historiador e secretário de Cultura, Suami Paula de Azevedo, a luta pela ligação e desenvolvimento igualitário entre os dois lados de Suzano sempre existiu. "Não há dúvidas que a formação do Centro da cidade tenha tido poder aquisitivo maior. Mas hoje, a distribuição econômica também se modificou e é maior entre a população", detalha.

HISTÓRIA Aberta em 1975, a Parada Piedade foi oficialmente inaugura em 1980. No início, a estação era uma parada isolada. "Um ponto estratégico para abastecimento de água e lenha para as locomotivas a vapor". O nome da Parada fazia referência à capela Piedade, existente no povoado do Baruel. Em 1879, com a chegada de Antonio Marques Figueira, próximo ao Rio Guaió, a comunidade cresceu e, em 1890, a Piedade passou a ser chamada de Concórdia. Foi em 1894, por meio do engenheiro Joaquim Augusto Suzano Brandão, que a estação ganhou a primeira estrutura de alvenaria. Em 1907, sob administração da Central do Brasil, ela foi batizada de Suzano. E um ano depois, o município antes conhecido como Concórdia também adotou o nome Suzano. O prédio demolido para dar espaço à nova Estação foi construído nos anos 70. A gestão do empreendimento foi dada a CPTM em 1994.