Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Quarta 22 de Novembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 22/11/2017
mrv

Passageiros apoiam transporte de animais domésticos em ônibus

15 ABR 2015 - 08h01

A permanência de animais domésticos no transporte público agrada ativistas e aos passageiros do transporte coletivo de Suzano. A medida foi aprovada na Capital, mas é considerada exemplo de tolerância aos bichos. Para os defensores da causa animal, a aprovação de uma lei que garante a permanência dos animais no ônibus, trem ou metrô já representa um grande passo. Em especial, para a conscientização da população. Já que em muitos casos, os animais são transportados clandestinamente e escondidos em caixas ou em sacolas plásticas.

"É um bom exemplo e deve ser seguido", contou a responsável pela Bicho Mais Amigo, Jane Bolonia. Ela defende a liberação dos animais no transporte público e ressalta que é o início de uma mudança importante para a sociedade.

Jane atua com promoção de adoção de animais a cerca de três anos juntamente com o filho. No mês passado, em parceria com Prefeitura de Suzano, a Organização Não-Governamental (ONG) realizou a feira para doação de animais na Praça dos Expedicionários. Para ela, além de, promover ações deste tipo, o Poder Público tem que dar mais liberdade para que os donos desses animais possam transitar com mais liberdade. "Não adianta promover ações de adoção dos bichos e limitar a circulação deles no transporte. Além disso, é preciso que a sociedade seja conscientizada", completa. "Se São Paulo aplicou a lei, é super válido adotarmos por aqui também. Eu assino em baixo", finalizou.

Os usuários do transporte público de Suzano também aprovam a lei. "Se estiver em uma caixa concordo. Não será nenhum inconveniente. Pra mim é positiva a lei", contou Valdete Matias, que esperava para embarcar em um coletivo.

Para a doméstica Aparecida Andrade, a permissão para circulação é positiva, mas deve-se manter bom senso. "Depende da necessidade. Se for para levar até um veterinário, eu concordo. Não dá para fazer disso um passeio porque mal temos espaço nos ônibus", justifica.

O vendedor, Alexandre Campos, também apoia a regulamentação dos animais nos transportes. "Sou a favor. Se tiver na caixa não vejo nenhum problema", afirmou.



LEI

O projeto de lei aprovado pela Prefeitura de São Paulo foi sancionado pelo prefeito Fernando Haddad (PT) no último domingo. A partir de agora, cães ou animais de pequeno porte podem circular dentro dos coletivos em horários que sejam de pico. Algumas regras devem ser seguidas, como por exemplo, o animal não pode exceder o peso de dez quilos e acondicionado em um recipiente de vidro ou de material similar desde que mantenha a higiene do local e evite dejetos. Em alguns casos, o cobrador poderá solicitar o valor da passagem do bicho. Apenas dois animais poderão ser transportados por viagem. A empresa que se recusar a transportar os animais pode ser multada em R$ 1 mil, caso seja reincidente o valor dobra.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias