Envie seu vídeo(11) 4745-6900
quarta 14 de abril de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 14/04/2021
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
São Paulo Secretaria da Educação
Quality Admistração de Condomínios
Magic City
CENTRO MÉDICO

Represas da região vão receber 5,5 mil litros de água por segundo até agosto

18 ABR 2015 - 08h01

O superintendente da Unidade de Negócio Leste da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), Márcio Gonçalves de Oliveira, afirmou ontem que até agosto, as represas que compõem o Sistema Produtor Alto Tietê (Spat) passarão a receber mais 5,5 mil litros de água por segundo. A ampliação da vazão será o resultado da conclusão das obras de interligação do Rio Grande, pertencente à Represa Billings, transferência do córrego Guaratuba à Ponte Nova e captação do Rio Guaió. Ontem, ele vistoriou as obras que estão sendo realizadas em Suzano e afirmou que o rodízio ainda não está descartado.

A previsão de entrega das obras no Rio Guaió continua sendo 30 de maio. A ligação contribuirá com mil litros de água por segundo. A quantia é suficiente para abastecer mais de 300 mil pessoas. A obra está orçada em R$ 28,9 milhões e conta com mão de obra própria da Sabesp. Hoje, a intervenção possui sete frentes de trabalho para implantação de 9 quilômetros de adutoras. "O Rio Guaió nasce em Mauá, no ABC Paulista, passa por Suzano, Ferraz de Vasconcelos e deságua no Tietê. Com a obra, vamos bombear 120 metros na estação elevatória e lançar à água no Ribeirão dos Moraes, afluente do Córrego Taiaçupeba-Mirim, por meio de tubulações, em seguida ele é lançado naturalmente na Represa Taiaçupeba", explica.

Segundo o superintendente, 35% das obras estão concluídas, mas todas as licenças ambientais necessárias já foram concedidas. A obra vai beneficiar moradores do Alto Tietê, Zona Leste de São Paulo. Vale destacar que o Spat abastecerá os reservatórios do Sistema Cantareira durante o período de estiagem e a Sabesp frisa ainda que o Cantareira não sairá da cota do volume morto até outubro.



RACIONAMENTO

Oliveira revelou também que a Sabesp não descarta um possível racionamento, mas afirma que a companhia não trabalha com a perspectiva. "Realizamos nos últimos meses uma série de medidas como bônus, redução de pressão e obras emergenciais, além de termos recebido uma boa quantidade de chuvas em fevereiro e março. O Alto Tietê conseguiu economizar 10,2 milhões de litros a partir dessas ações", detalha. Caso seja necessária a implantação de um rodízio de água, o superintende ressalta que o esquema não está definido e adianta que a Sabesp vai avaliar cada caso no momento certo. "Ainda não temos um padrão de como poderá ser o rodízio". Atualmente, o Alto Tietê possui capacidade para tratar até 15 mil litros de água por segundo. Mas trata entre 11 e 12 mil litros.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias