Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Quarta 22 de Novembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 22/11/2017
mrv

Suzano firma convênio para monitorar chuvas em tempo real em 8 locais

17 MAR 2015 - 08h01

Um convênio firmado com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação vai permitir o monitoramento de chuvas e desastres naturais em tempo real, em Suzano. A publicação foi feita ontem no Diário Oficial da União (DOU). O convênio é válido por tempo indeterminado e começou a vigorar em 11 de fevereiro deste ano. Com isso, serão instalados oito pluviômetros automáticos em diferentes pontos da cidade. O monitoramento será feito pelo sistema eletrônico do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas Naturais (Cemaden).

Segundo a publicação, a parceria entre a Prefeitura e o órgão federal prevê acompanhamento das informações "com a finalidade de propiciar ações de monitoramento e a elaboração de alerta de risco de desastres naturais em áreas monitoradas".

O principal objetivo é minimizar o número de vítimas decorrentes dos desastres naturais.

O anúncio de que a parceria iria acontecer foi anunciado pela administração municipal em setembro do ano passado. Até então, o monitoramento das áreas era feito com dois pluviômetros manuais, localizados na sede da Secretaria de Defesa Civil e Social e no Distrito de Palmeiras.

Os monitoramentos passarão a ser feito nos seguintes pontos: Unidade Básica de Saúde (UBS) Jardim do Lago; Base da Polícia Militar (PM) e da Guarda Civil Municipal (GCM) em Palmeiras, na Vila Ipelândia; UBS Jardim Tabamarajoara; Garagem Municipal, na Casa Branca; UBS Jardim Natal; Emef Luiz Romanato, na Vila Maluf; na sede na GCM, na Vila Figueira; e na Escola Municipal Boa Vista.

Cada um dos pluviômetros cobre uma área de até três quilômetros de distância, ficando todo o município coberto com o monitoramento. A escolha dos pontos foi feita pelos técnicos da pasta municipal e foram aprovados pelo Cemaden. Os dispositivos têm como linha de ação prioritária fornecer dados sobre áreas de risco relacionadas à queda de encostas, enxurradas e inundações. A comunicação é feita via satélite.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias