Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Quarta 22 de Novembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 22/11/2017
mrv

Suzano propõe gestão do Estado no Miraporanga e Parque do Mirante

20 MAR 2015 - 08h01

Suzano solicitou ao Estado ajuda para a criação de dois projetos turísticos. As propostas de tornar o Miraporanga um Parque Estadual e de criar o Parque do Mirante foram apresentadas ontem em reunião entre o deputado estadual Estevam Galvão (DEM), o diretor de Turismo de Suzano, Cláudio Rocha e o secretário estadual de Turismo, Roberto de Lucena. Além disso, o vereador Cláudio Anzai (PSDB) foi ao encontro representando o presidente do Bunkyo, Kazuhiro Mori.

Com o debate do assunto, a ideia é que a Prefeitura apresente nas próximas semanas um estudo das demandas do projeto e o investimento necessário. A solicitação do documento foi feita por Lucena.

O projeto para que o gerenciamento do Parque Miraporanga seja do Estado foi apresentado por Rocha. "Trata-se de um espaço particular, cujos proprietários não têm mais interesse em manter, com mais de 970 mil metros quadrados de mata secundária, lagos, nascentes e grutas, plantas raras e ricas fauna e flora. Abriga ainda a história da cidade, próximo à Igreja do Baruel, onde teve início a formação do povoamento suzanense".

Com relação à proposta de criação do Parque do Mirante, Rocha afirmou que o local, no Sesc, tem extensa mata e nascentes que são interligadas ao Rio Tietê. "É uma área municipal que possui a antiga torre de bombeamento da Sabesp, abandonada há mais de 20 anos e com mais de 20,5 mil metros quadrados”.

MIRAPORANGA

A luta para transformar o Miraporanga em parque é antiga. Por diversas vezes, o assunto foi cogitado.

Para se ter ideia, em 2011, o DS publicou matéria dizendo que os deputados estaduais pretendiam se unir para tentar reabrir o parque. Uma das principais dificuldades é porque o local é área particular.

O parque chegou a ter mais de duas mil espécies de famílias botânicas. É uma área com cerca de 1,5 milhão de metros quadrados, que é um reduto de exemplares raros de plantas de todo o planeta, além de fauna e flora ricas em espécies da Mata Atlântica.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias