Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quarta 20 de novembro de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 19/11/2019
PMMC NOVEMBRO AZUL
PMMC SEGURANÇA
Pmmc Refis 2019
Pmmc maternidade
COLÉGIO PLENITUDE

Suzano tem 6,5 mil cães abandonados pelas ruas; 5 são achados mortos por dia

16 AGO 2015 - 08h01
Suzano tem 65 mil animais domésticos e 10% estão em situação de rua ou de semi-domicilio. Ou seja, 6,5 mil cães e gatos estão, hoje, abandonados na cidade correndo risco de vida e oferecendo risco a população. O número leva em consideração o número de habitantes de Suzano, que segundo o último senso oficial do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), gira em torno de aproximadamente 262 mil pessoas e a população total de animais. A cada quatro suzanenses existe um cão ou gato.

Segundo a Prefeitura de Suzano, diariamente são achados em média cinco animais mortos no município.

Desses, 90% são cães. Teoricamente a situação de abandono não deveria existir e muito menos esses animais estarem nas ruas, pois, em Suzano existe um canil municipal, com uma população atual de 65 animais.

Animais abandonados é apenas uma questão de respeito à vida como um tudo, mas envolve também, questões de saúde e políticas públicas, dizem especialistas. O fundador e presidente da Arca Brasil, Marco Ciampi, atua na área de defesa e proteção de animais há 23 anos. Ele disse ao DS que “a situação dos animais” está incluso na pasta de Saúde de qualquer governo, por isso, existe a divisão de zoonoses dentro da secretaria.

Ciampi apontou que o animal é um potencial transmissor de doença, logo, se ele está abandonado, sem cuidados, esse potencial redobra. Ele comentou sobre um vírus transmitido pelo mosquito após picar um animal de “sangue quente” pode causar doenças. "Leishmaniose era uma doença comum em zonas rurais, mas ao poucos vem chegando as zonas urbanas. Temos casos em Cotia e em Embu das Artes", apontou. Outra doença de transmissão pelo animal é a raiva que, segundo Ciampi, não registra casos há mais de 40 anos no Brasil. Por isso, ele julga que a Leishmaniose é a principal doença relacionada a animais.

Outra questão comentada por Ciampi é a do animal e o trânsito. Ele destacou que é comum acidentes relacionado carros e animais e, situações que houve vítimas humanas. "O animal abandonado, seja ele um cão ou um cavalo apresenta risco para o motorista", destacou.

.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias