Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Terça 21 de Novembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 21/11/2017
mrv

Suzano tem a melhor geração de emprego da região e a 26ª do Estado

23 MAI 2015 - 08h01

Suzano teve a melhor geração de empregos do Alto Tietê e a 26ª no Estado, com a criação de 312 postos de trabalho. Os dados são referentes ao mês passado e foram divulgados ontem pelo Ministério do Trabalho e Emprego por meio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Com isso, a cidade voltou a ter bom desempenho neste ano, já que em março, havia registrado um saldo negativo de 242 novos postos de trabalho com carteira assinada, ficando na 358ª colocação do ranking estadual.

Em janeiro e fevereiro, o desempenho de Suzano com relação as outras cidades do Estado era positivo. No primeiro mês do ano, o município ficou na 78ª colocação no ranking com a geração de 45 postos de trabalho. No mês seguinte, o município ocupou o 7º lugar, com a geração de 745 novos empregos.



ABRIL

Com relação aos postos de trabalhos criados em abril, Suzano teve o melhor desempenho dos últimos anos. Só para se ter uma ideia, em 2014, foram criados somente 21 empregos, o que havia colocado a cidade em 210º lugar no ranking. Com isso, em um ano subiu 184 posições. No ano anterior, em 2013, a cidade havia tido um melhor desempenho com 253 postos de trabalho gerado e a 78ª colocação no ranking. Em 2012, foram 225 novos empregos e a 84ª colocação entre as cidades do Estado.



REGIÃO

A região criou somente dez postos de trabalho. Das dez cidades, três tiveram saldo negativo. Depois de Suzano, o município com melhor desempenho regional foi Ferraz de Vasconcelos com 90 empregos criados e a 74ª colocação no ranking. O pior cenário é de Itaquaquecetuba, com perda de 257 postos de trabalho e a 335ª colocação no ranking (veja quadro completo ao lado).



BRASIL

No cenário nacional, foi registrada uma queda de 0,24% no estoque de empregos formais, o que representa uma redução de 97.828 postos de trabalho, resultado de 1.527.681 admissões contra 1.625.509 desligamentos. Mesmo com esse número, o País gerou 5,1 milhões postos de emprego formal desde 2011 e nos últimos 12 anos foram acrescidos 20.5 milhões de postos de trabalho.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias