Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Quinta 23 de Novembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 22/11/2017
mrv

A Fifa e o futebol

07 JUN 2015 - 08h00

O mundo recebeu com surpresa e com muita indignação as investigações envolvendo a Fifa, a Federação Internacional de Futebol.

A prisão de dirigentes da entidade, incluindo o ex-presidente José Maria Marin, “arranhou” de forma direta a instituição.

E depois de 17 anos, Joseph Blatter anunciou que deixará o comando da Fifa. Foi uma decisão para tentar minimizar a situação já crítica e tentar garantir o funcionamento da entidade.

O futebol é hoje um dos esportes mais populares no mundo. Praticado em centenas de países, desperta interesse em função de sua forma de disputa atraente e leva multidões aos estádios.

Embora não se tenha muita certeza sobre os primórdios do futebol, historiadores descobriram vestígios dos jogos de bola em várias culturas antigas. Estes jogos de bola ainda não eram o futebol, pois não havia a definição de regras como há hoje, porém demonstram o interesse do homem por este tipo de esporte desde os tempos antigos.

O futebol tornou-se tão popular graças a seu jeito simples de jogar. As denúncias que chegam agora contra a Fifa “arranham” a imagem do esporte no mundo.

Na semana passada, sob fortes denúncias de corrupção, o presidente da entidade que comanda o futebol mundial renunciou ao seu cargo e será substituído em eleições que devem acontecer até março do ano que vem. Foi uma difícil decisão, uma corajosa decisão e uma correta decisão na opinião de muitos analistas.

Joseph Blatter passa a ser investigado nos EUA e por isso é forçado a deixar a presidência da Fifa, dando um fim a uma era. Sob forte pressão de cartolas, de políticos e patrocinadores, o suíço deixa a instituição depois de 39 anos como funcionário da entidade. Iria para seu quinto mandato.

Foi acima de tudo o risco de uma prisão e de um processo penal que mais pesaram na decisão do cartola. Se no fim de semana ele insistia que não renunciaria, tudo mudou quando foi informado de forma extra-oficial de que o Departamento de Justiça dos EUA estava tentando montar um caso contra ele, baseado nos depoimentos de dezenas de pessoas, inclusive os dirigentes da Fifa que foram presos nos últimos dias.

Nesse momento é importante prosseguir com as investigações para garantir que todas as denúncias sejam apuradas com os culpados sendo punidos com rigor.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias