Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Quarta 13 de Dezembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 13/12/2017
mrv

Sem água, sem dinheiro

26 JUL 2015 - 08h00

A crise da água trouxe uma série de consequências para a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), entre elas, a especulação de que a empresa está em crise financeira. A companhia está, inclusive, listando alguns imóveis que serão colocados à venda. A estimativa é de que com esta iniciativa sejam arrecadados R$ 196 milhões com a venda de 24 imóveis em todo o Estado, sendo que um é em Suzano.

A questão é que com a falta de água, a Sabesp e o Estado tiveram que acelerar algumas obras que estavam previstas para o próximo ano. Entre os projetos tirados do papel estão a captação de água do Rio Guaió para ser levada à Represa de Taiaçupeba e a transposição de água do Rio Grande para o Sistema Produtor Alto Tietê.

A questão é que mesmo com estes investimentos e estas obras, além da utilização do volume morto (no caso do Sistema Cantateira), a situação das represas não tem melhorado muito. A preocupação maior virá, nos próximos meses, quando entrar mais um período de seca. O governador Geraldo Alckmin (PSDB) afirmou, por diversas vezes, que com estas obras o racionamento estava descartado.

Além destes projetos, campanhas de conscientização sobre o desperdício da água também estão sendo realizadas. Além disso, a Sabesp começou a aplicar multas para os consumidores que excedem o consumo. A comparação é feita do consumo médio de meses anteriores à multa começar a valer, em fevereiro deste ano.

Pelas regras, aqueles que consumirem até 20% mais água do que a média apurada no período de fevereiro de 2013 a janeiro de 2014 (anterior à crise) será sobretaxado em 40% da conta total. Já quem aumentar o consumo além desse limite receberá acréscimo de 100% na tarifa. No mês de junho, 47 mil consumidores da região tiveram a incidência dessa tarifa.

Somente com estas multas, a Sabesp arrecadou no Estado mais de R$ 200 milhões. No Alto Tietê foram R$ 9 milhões. Ou seja, no período de cinco meses (até junho), somente a multa resultou em arrecadação média de R$ 1,8 milhão por mês para a empresa.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias