Envie seu vídeo(11) 97569-1373
terça 25 de setembro de 2018

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 24/09/2018
PMMC SETEMBRO - ENTRE
MRV AGOSTO - SÁLVIA
PMMC SETEMBRO - ONA 2

Contra o Fluminense, Corinthians quer esquecer primeiro semestre e reagir

24 MAI 2015 - 08h00

Reformular o elenco em meio à disputa do Campeonato Brasileiro. A partir de agora, este é o maior desafio do Corinthians. O primeiro teste desta nova e tortuosa etapa é o jogo contra o Fluminense, hoje, às 16 horas, no Estádio do Maracanã, no Rio, pela terceira rodada.

A bomba estourou nas mãos de Tite. Eis a lista de problemas do técnico: Emerson foi descartado, embora fique no banco de reservas; Guerrero joga, mas está com os dois pés fora do clube; Malcom defende a seleção brasileira sub-20 e está fora da partida; e Vagner Love foi barrado.

Ou seja: de candidato ao título, o time de Tite virou um ponto de interrogação. Tudo por causa da eliminação na Copa Libertadores e da crise financeira. Imerso em dívidas e com menos receita, ficou impossível bancar a permanência de Guerrero "A cada seis meses, por um fator ou outro, há reestruturações nas equipes. É algo desafiador, uma oportunidade. Temos de nos adaptar à realidade. É do jogo", afirmou Tite, que vê evaporar seu time campeão do mundo de 2012.

Por parte da diretoria, não há promessas de reforços, exceto um possível retorno do meia Rodriguinho. Quanto às categorias de base, fora Malcom nenhum outro jogador deve ser muito aproveitado. Tite acha que não é a hora ideal. "O Brasileiro tem uma exigência técnica e emocional maior. Uma coisa é lançar garotos jogando em casa contra qualquer equipe do Paulista, sem ser os clássicos. Outra é um jogo contra o Fluminense".

Tite precisou reinventar time e esquema. Se contra a Chapecoense ele escalou três atacantes, hoje voltará atrás e vai formar o setor com Guerrero e Mendoza. Petros, que tem proposta do Flamengo, reaparece como titular no meio de campo.

A ideia do treinador, no entanto, não muda. Tite pede posse de bola e marcação alta, no campo rival. Estas sempre foram as características de seu Corinthians. Mas a sensação é de que o estágio do time é inferior àquele do início do ano.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias