Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Sábado 25 de Novembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 24/11/2017
mrv

Zico condiciona candidatura a mudança na regra para eleição presidencial da Fifa

11 JUN 2015 - 08h00

O ex-jogador de futebol Zico admitiu se candidatar para a presidência da Fifa, mas somente se houver mudanças nas regras eleitorais vigentes, que para ele dão brecha para corrupção. Em entrevista coletiva ontem, na sede de seu clube, o CFZ, no Rio de Janeiro, ele afirmou ser mais fácil pleitear o comando da entidade internacional do que da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Zico também alfinetou jogadores da seleção, que, na sua avaliação "ficam quietos" apesar da visibilidade que têm.

Atualmente, é necessário o apoio de ao menos cinco federações nacionais para lançar uma candidatura à presidência da Fifa, além de ter trabalhos recentes no meio do futebol, que para Zico é o quesito que deve ser mantido na eleição. "Serão necessárias mudanças de regra do jogo, com as que estão aí não há possibilidade de concordância. A exigência de cinco federações é o prenúncio da corrupção".

Zico também pensou na hipótese de se candidatar ao comando da CBF, mas considera uma missão quase impossível, já que é necessário o apoio das federações estaduais que, segundo ele, "são fechadas com a atual direção da entidade". "O ideal era tentar, primeiro, no Brasil. Mas é mais fácil conseguir o apoio de cinco federações ao redor do mundo que se candidatar à CBF", afirmou.

A experiência na política, como secretário nacional de Esportes no governo de Fernando Collor, e como atleta e técnico por vários países, é o trunfo de Zico. "A candidatura tem uma vida. Ajuda o fato de ter passado por vários continentes e ter criado uma história em alguns deles".

O ex-jogador também frisou que tem experiência no trabalho de gestão. "Além de secretário de Esportes, fui presidente do sindicato dos atletas e ajudei na legislação esportiva", ponderou.

Um de seus possíveis adversários na eleição da Fifa é o francês Michel Platini, presidente da Uefa. E Zico afirmou que o também ex-jogador é uma de suas inspirações para a candidatura. "O Platini só teve um cargo, no comitê de organização da Copa da França (1998), antes de chegar à Uefa. E está fazendo um ótimo trabalho lá", considerou.

Zico também elogiou o Bom Senso FC. "Fico feliz com o Bom Senso porque é formado por jogadores que ainda estão em atividade, mas a maioria dos cabeças foram retirados dos times (por represália)", afirmou o ex-jogador.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias