Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sexta 14 de agosto de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 13/08/2020
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
PMMC ECOTIETÊ
PMMC LED
PMMC ALEITAMENTO MATERNO
PMMC  VACINAÇÃO - SARAMPO

Mogi realiza nova Avaliação de Densidade Larvária na cidade

Trabalho está sendo feito pelo Núcleo de Prevenção e Controle de Arboviroses com visitas aos imóveis

Por de Mogi08 JAN 2020 - 23h15
Prefeitura realiza, neste mês, nova edição da Avaliação de Densidade Larvária (ADL)Foto: Guilherme Berti/PMMC
Em continuidade às ações permanentes de combate ao Aedes aegypti, a Prefeitura de Mogi das Cruzes realiza neste mês mais uma edição da Avaliação de Densidade Larvária (ADL). O trabalho está sendo feito pelo Núcleo de Prevenção e Controle de Arboviroses com visitas aos imóveis até o final de janeiro. Para isso, a população precisa colaborar e receber os técnicos em suas casas. A equipe trabalha uniformizada e identificada por crachá.
 
A Avaliação de Densidade Larvária é uma amostragem que aponta qual região do município apresenta maior infestação de larvas do mosquito, possibilitando a definição de estratégias de combate ao inseto em locais específicos e de maior necessidade. Mostra, ainda, quais situações podem causar problemas como, por exemplo, acúmulo de pneus ou falta de cuidado com piscinas.
 
Durante a ADL são coletadas amostras em imóveis escolhidos aleatoriamente em todas as regiões da cidade. Os resultados obtidos geram o Índice Breteau (IB), um valor numérico que define a quantidade de insetos em fase de desenvolvimento encontrados nos locais vistoriados e que permite saber em quais regiões da cidade há maior risco de transmissão de doenças.
 
O índice de tranquilidade é 1,0 ou menos (significa que para cada 100 imóveis visitados somente um apresenta larvas do mosquito). O índice é considerado tolerável até 1,5. Acima desse nível há risco iminente de doenças.
 
Os últimos levantamentos realizados na cidade mostraram que o principal problema são recipientes móveis, ou seja, todo tipo de material que pode ser removido para evitar o acúmulo de água, como vasos, baldes e garrafas encontradas dentro dos imóveis vistoriados. Em 2019, 104 casos de dengue já foram confirmados e outros 107 estão em análise, aguardando resultados de exames.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias