Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Quinta 23 de Novembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 22/11/2017
mrv

Samu recebe orientação para restringir atendimento por falta de médicos

16 JUN 2015 - 08h01

 A falta de médicos no Hospital Regional Dr. Osíris Florindo Coelho, em Ferraz de Vasconcelos, tem gerado transtornos para os profissionais do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). O órgão foi notificado no último final de semana para não encaminhar os pacientes à unidade. A situação também prejudica os que precisam esperar ainda mais pelo atendimento.

De acordo com o Samu, a notificação sobre falta de médico foi divulgada no final de semana, mas a situação permanece do mesmo jeito. "As informações sobre os pacientes que podem ser encaminhados ao Regional são enviadas diariamente ao órgão", destaca. No Hospital Santa Marcelina, em Itaquaquecetuba, a situação é semelhante, mas a unidade não restringe o atendimento. A afirmação foi feita pelo Samu da cidade.

"Quando não há atendimento em Itaquá, os pacientes são encaminhados ao Luzia de Pinho Melo, em Mogi das Cruzes, ou ao Bom Sucesso, de Guarulhos". O Samu de Suzano frisa que as notificações sobre falta de médicos são rotineiras e realizadas para que o paciente não perca tempo enquanto espera, ou seja, para que Serviço Móvel o encaminhe para outro hospital.

O Corpo de Bombeiros de Itaquá disse que tem levado os pacientes ao Santa Marcelina e o atendimento tem sido realizado. O Posto de Ferraz afirma desconhecer a notificação.



PACIENTES

Ontem o DS esteve no Regional e falou com alguns pacientes que confirmaram a situação. Segundo a prensista Cátia Carmo ela precisou passar no clínico geral e teve atendimento adequado, mas o filho não passou no pediatra. "Não tem médico", afirma. A doméstica Anízia Bezerra também foi atendida, mas não conseguiu passar com cirurgião. "Passei com o clínico geral", comenta.

No Santa Marcelina, segundo pacientes falta ortopedista. O porteiro Vanderlei Santana conta que também não há cirurgião na unidade. A mãe dele que está internada há quase uma semana depende de uma cirurgia na bacia, mas ainda não fez os exames necessários. "Não vimos o ortopedista hoje. Ela reclama com dores", detalha.

SECRETARIA ESTADUAL

Em nota, a Secretaria de Estado da Saúde diz que “as direções dos hospitais de Ferraz de Vasconcelos e de Itaquaquecetuba esclarecem que são completamente inverídicas as informações sobre falta de pediatras e de ortopedistas em suas unidades, respectivamente.

O Hospital Regional de Ferraz de Vasconcelos conta com 13 pediatras que atuam no pronto-socorro e na enfermaria, e funciona com escala completa nessa especialidade, (...) e o Hospital Geral de Itaquaquecetuba possui 30 ortopedistas, que formam uma equipe completa para atender as escalas de plantão”.

A pasta também afirmou em sua resposta que “cabe esclarecer que, devido ao aumento de 30%, em média, no número de atendimentos gerais, as unidades enviaram comunicado aos órgãos socorristas para relatar a dificuldade de atendimento, tendo em vista uma melhor distribuição dos casos de urgência e emergência, para que todos os pacientes recebam atendimento de qualidade e com a maior agilidade possível”.

A secretaria também ressaltou que a boa “eficiência”da rede municipal de saúde é fundamental para evitar que os hospitais fiquem sobrecarregados.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias