Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Sábado 21 de Outubro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 20/10/2017
mrv
Habitação

Associação Nacional vai construir 396 moradias para policiais em Suzano

Iniciativa ainda contemplará Guardas Civis Municipais (GCM). Obras devem começar no próximo ano

Por Marilia Campos - de Suzano22 SET 2017 - 08h01
Lançamento do programa habitacional ocorreu em SuzanoFoto: Sabrina Silva/Divulgação
A Associação Nacional dos Policiais Civis, Militares, Agente Penitenciários e Peritos (Associapol) vai construir 396 moradias aos agentes públicos de segurança que vivem em áreas consideradas de risco para a profissão. Suzano é a primeira cidade a lançar o projeto piloto do Programa Casa do Servidor Público, o 'Habitapol', que será instalado na Avenida Senador Roberto Simonsen. A iniciativa ainda contemplará Guardas Civis Municipais (GCM). 
 
O programa é viabilizado por meio do Ministério da Justiça, do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci), e Secretaria de Habitação, além de fundos de investimentos onerosos e outras fontes de apoio, públicas e privadas.
 
Para ter direito ao apartamento avaliado em R$ 250 mil, o agente deve se encaixar nos requisitos socioeconômicos exigidos pela entidade. A prioridade será dada por critérios como possuir renda de três a cinco salários mínimos e não possuir imóvel nem mesmo no nome do cônjuge. Isso porque as moradias são voltadas aos policias que vivem com a família em áreas de risco para a profissão.
 
"Infelizmente o crime avança e a gente tem família para cuidar. Quantas vezes vemos colegas que saem para trabalhar e não voltam para casa. Meu pai, que também era policial, foi uma dessas vítimas que saiu e nunca mais voltou. É um projeto que busca levar dignidade", explicou o presidente da Associapol, Aparecido Beserra Monteiro. O financiamento dos apartamentos em Suzano seguirá um modelo de autogestão, e o valor total pago pelo policial sairá em média R$ 60 mil. O início da obra está previsto para acontecer entre janeiro e fevereiro do ano que vem. 
 
Outros municípios como Sorocaba, São Bernardo do Campo e Capivari também deverão receber o programa, totalizando 2 mil moradias. Conforme a expectativa traçada pelo governo federal, 20 mil unidade serão construída até 2019. Atualmente, só no Estado de São Paulo, 38 mil policias vivem em área de insegurança. "Esta iniciativa é única e brilhante. O agente é muito exigido no trabalho e merece um momento de lazer e tranquilidade em casa, com a família", destacou o major Figueiredo, do 17º Batalhão de Polícia Militar, durante o evento de lançamento do projeto realizado ontem no Centro Cultural Francisco Moriconi, em Suzano. 
 
O prefeito Rodrigo Ashiuchi (PR) e o secretário de Segurança, Fátimo Aparecido, também estiveram presentes. "Eu não acreditei quando recebi o programa. É muito bom ter policias e GCM's morando na própria cidade, em segurança. A gente fica muito feliz, vamos divulgar e dedicar total apoio à dignidade", disse o secretário que também foi delegado da Polícia Civil. "Em toda a parte de estrutura que o projeto necessita, a Prefeitura vai ser parceira. Uma das coisas que pedimos é que esse programa atenda à demanda suzanense e que possa ser atendido o maior número da cidade. Logo em seguida, os agentes do Alto Tietê e do Estado", priorizou Ashiuchi. 
 
Para se cadastrar no Habitapol, os agentes de segurança devem procurar a Associapol que se responsabiliza pelos cadastros e priorização. A entidade atende no escritório regional localizado na Rua General Francisco Glicério, nº 2.584, sala 01, ou por meio do telefone 4292-2990. O site da associação é www.associapol.org.br. 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias