Envie seu vídeo(11) 4745-6900
terça 16 de agosto de 2022

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 16/08/2022
SESC AGOSTO 2022

Comércio aprova programa de ‘Vizinhança Solidária’

Objetivo é unir a comunidade no WhatsApp e Telegram para denunciar roubos, furtos e outros crimes nas lojas.

Por Donizetti Tobias Jr. - Da Reportagem Local30 JUN 2022 - 13h00
Comércio aprova programa de ‘Vizinhança Solidária’Foto: Divulgação
Lançado na semana passada, o programa ‘Vizinhança Solidária’ agrada o comércio da cidade. A iniciativa, anunciada pelo Sindicato do Comércio Varejista (Sincomércio), visa reunir mais de 1,5 mil comerciantes em todo o Alto Tietê.
 
O objetivo é unir a comunidade no WhatsApp e Telegram para denunciar roubos, furtos e outros crimes nas lojas. A expectativa é diminuir em até 70% as ocorrências criminais em estabelecimentos da cidade e região.
 
O programa contará com o auxílio da Polícia Militar (PM) e, futuramente, das Guardas Civis Municipais (GCMs) e Polícia Civil.
 
De acordo com o presidente do Sincomércio, Valterli Martinez, as frequentes denúncias de furtos, assaltos e invasões de lojas durante a madrugada diminuirão. “Com certeza vai inibir muito a ação de criminosos”, afirma.
 
Para a atendente da Casa de Doces Brasília, Patrícia Antunes, a sensação é a mesma. “Me sinto mais protegida. Principalmente porque aqui é muito deserto, aos finais de semana e dá muito medo”, completa.
 
O relato é bastante semelhante entre a dentista Rúbia Silva, e sócia da Clínica Fabes, e também para Amanda Nascimento, recepcionista na clínica PandaVet. Ambas dizem sentir maior segurança e ressaltaram a importância da iniciativa.
 
“Gostei bastante da iniciativa, pois nos dá - mesmo que pequena - sensação de segurança. É importantíssimo ficar à par das ocorrências do meu município e bairro de uma forma mais rápida e ágil”, disse Rubia, que acrescenta: “acredito que possa ter uma queda no índice de violência, por causa da inibição que trará essa troca de informação”.
 
Para Amanda, ela projeta junto com a segurança, uma tranquilidade maior aos comerciantes. “Acho que esses crimes vão diminuir, porque eles ficarão cientes da iniciativa, e aí terão mais receio antes de agir”. 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias