Envie seu vídeo(11) 4745-6900
domingo 28 de fevereiro de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 28/02/2021
CENTRO MÉDICO
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
Balanço

Número de homicídio doloso no Alto Tietê aumenta 28% em um ano

De 88 casos, saltou para 113. Da região, sete cidades contabilizaram aumento, outras duas tiveram queda e apenas Suzano se manteve, com 21 casos em cada ano

Por Lucas Lima - da Região26 JAN 2021 - 14h42
Número de homicídio doloso no Alto Tietê aumenta 28% em um anoFoto: Isabela Oliveira\DS

O número de homicídio doloso – quando há intenção de matar - registrados nas delegacias do Alto Tietê cresceu 28,41% no ano passado em comparação a 2019. De 88 casos, saltou para 113. Das dez cidades da região, sete contabilizaram aumento, outras duas tiveram queda e apenas Suzano se manteve, com 21 casos em cada ano. Os dados são da Secretaria de Segurança Pública (SSP) do Estado de São Paulo.

Líder de registros de homicídios em 2020 está Itaquaquecetuba. A cidade computou 31 casos no ano passado. Já em 2019 o município contabilizou 19 casos do crime, ou seja, aumento de 63,16% no número de casos em um ano.

Na sequência vem Mogi das Cruzes, com 23 casos de homicídio no ano anterior. Se comparado com 2019, o número de casos do crime na cidade cresceu apenas 9,52%. Há dois anos foram registrados 21 casos.

Suzano aparece logo atrás, tendo registrado 21 casos tanto em 2020 quanto em 2019.

Na contramão dos municípios que tiveram aumento no número de homicídios, Ferraz de Vasconcelos contabilizou 15 casos em 2019 e 13 no ano passado. Os dados representam queda de 13,33%.

Já Arujá teve aumento de quatro casos entre 2019 e 2020. De três casos, pulou para sete. Biritiba Mirim e Santa Isabel seguem a tabela com cinco casos de homicídios registrados no ano passado, cada uma. No entanto, em Santa Isabel houve aumento de apenas um caso. De quatro foi para cinco casos no ano anterior. Biritiba, por sua vez, registrou aumento absoluto, ou seja, de zero saltou para cinco.

Em Poá e Salesópolis a situação é quase a mesma. Na cidade poaense, de dois casos de homicídios registrados em 2019, passou para três em 2020. Por outro lado, em Salesópolis foi de zero a três casos durante o mesmo período.

Guararema fecha a lista como a segunda cidade que computou queda no número de homicídios. De três casos, caiu para dois.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias