Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sexta 22 de novembro de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 21/11/2019
PMMC NOVEMBRO AZUL
COLÉGIO PLENITUDE
Pmmc maternidade
Pmmc Refis 2019
PMMC MIGO
Suzano

Região perde 2 mil postos de trabalho. Suzano sobe 35 posições no ranking estadual

21 AGO 2015 - 21h03

Suzano perdeu 91 trabalhos com carteira assinada no mês de julho. Com isso, a cidade ficou na 275ª colocação no ranking estadual de geração de emprego. Apesar do resultado negativo, o município subiu 35 posições no ranking em comparação com o mesmo mês do ano passado. Na ocasião, o município estava no 310º lugar, com perda de 84 empregos. Os dados foram divulgados hoje pelo Ministério do Trabalho e Emprego, por meio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).



A região também registrou resultado negativo com a perda de 2.025 postos de trabalho. Biritiba Mirim foi a única cidade do Alto Tietê que registrou saldo positivo, com dois postos de trabalho gerados. A cidade ficou na 121ª colocação no ranking. O segundo melhor desempenho no Alto Tietê foi de Salesópolis que ocupa o 157º lugar no ranking, com dez postos de trabalho. O pior desempenho regional foi de Mogi das Cruzes, com a perda de 635 empregos formais. A cidade não foi inserida no ranking estadual do Caged. Itaquá teve o segundo pior desempenho da região, com a perda de 497 postos de trabalho e a 349ª colocação no ranking estadual.



Suzano



O melhor desempenho na cidade suzanense foi no setor de serviços. Com 1.118 admissões e 781 desligamentos, foram criadas 337 vagas com carteira assinada. Somente mais um setor registrou saldo positivo no mês de julho. O comércio criou 17 postos de trabalho, com 443 contratações e 426 demissões. O setor extrativa mineral não contabilizou criação de empregos.



Todos os outros setores relacionados pelo Caged não tiveram bom desempenho, sendo que o pior cenário foi na indústria da transformação, com a perda de 197 empregos formais. A construção civil não teve um resultado muito diferente. Com 152 contratações e 333 demissões, o setor registrou a perda de 181 postos de trabalho. A administração pública registrou saldo negativo de 46 empregos, seguido do serviço industrial de utilidade pública (-16) e agropecuária (-5).



No ano



Quando contabilizado os sete primeiros meses do ano, Suzano tem saldo positivo com a geração de 387 empregos formais. Foram 15.264 contratações e 14.877 demissões. No desempenho deste ano, o setor de serviços também teve o melhor desempenho com a criação de 1.253 postos de trabalho; seguida do serviço industrial de utilidade pública, com 64 empregos criados e agropecuária, com a geração de 21 postos de trabalho. O setor extrativa mineral também se manteve estável entre janeiro e julho, com duas contratações e duas demissões.



 Os outros setores registraram perda de empregos formais. Neste período, a indústria também teve o pior desempenho com um saldo negativo de 711 postos fechados. O setor da construção civil perdeu 19 empregos formais e o comércio, 43 postos de trabalho e a administração pública teve 178 empregos fechados.

 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias