Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sábado 23 de março de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 23/03/2019
PMMC SEMAE
CENTERPLEX SUZANO

Saiba quem são as vítimas do massacre na Escola Raul Brasil

Prefeitura de Suzano informou que decretou luto oficial de três dias consecutivos na cidade (Decreto Municipal nº 9.312/2019) em razão de atentado

Por De Suzano13 MAR 2019 - 23h57
Massacre ocorreu na Escola Raul BrasilFoto: Divulgação/Facebook

Suzano está em luto. O massacre na Escola Raul Brasil deixou mortos cinco estudantes, duas funcionárias e um empresário. Pelo menos outras 11 pessoas ficaram feridas.

As vítimas fatais foram Marilena Ferreira Vieiras Umezo (funcionária), Eliane Regina Oliveira Xavier (funcionária), Jorge Antônio Morais (proprietário da agência de veículos), Kaio Lucas da Costa Limeira (estudante), Claiton Antonio Ribeiro (estudante), Samuel Melquiades Silva de Oliveira (estudante), Douglas Celestino (estudante) e Caio Oliveira (estudante).

Os dois atirados são Guilherme Tancci Monteiro e  Luiz Henrique de Castro. Os dois cometeram suicídio.

A Prefeitura de Suzano informou que decretou luto oficial de três dias consecutivos na cidade (Decreto Municipal nº 9.312/2019) em razão do atentado ocorrido na manhã desta quarta-feira, 13 de março, na Escola Estadual Raul Brasil, bairro Parque Suzano, que acarretou na morte de dez pessoas, entre estudantes, funcionários e os acusados do ataque.

O Executivo se solidarizou com familiares e amigos das vítimas e reitera que presta todo o apoio e serviços necessários neste triste momento a todos os envolvidos no episódio. O atendimento, inclusive, terá prosseguimento nos próximos dias a quem for necessário.

A administração municipal também já liberou a utilização da Arena Suzano, no Parque Max Feffer, para a realização do velório coletivo. O horário ainda será definido.

Nesta quarta-feira, mais de 150 profissionais da rede municipal e 80 voluntários atuaram no Centro de Acolhimento às Famílias montado na sede da Associação Cultural Suzanense, o Bunkyo, das Secretarias Municipais de Saúde, Educação, Assistência e Desenvolvimento Social, Administração, Transporte e Mobilidade Urbana e Segurança Cidadã, do Fundo Social de Solidariedade, da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa), do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e do Corpo de Bombeiros

Quem procurava informações a respeito de familiares que estavam na escola no momento do atentado eram recepcionadas, acolhidas individualmente, comunicadas por representantes do governo do Estado e da Prefeitura de Suzano se seus parentes estavam entre as vítimas e encaminhadas para assistentes sociais, psicólogos, médicos psiquiatras, enfermeiros e terapeutas ocupacionais. Até o final da tarde desta quarta-feira, cerca de 200 pessoas passaram pelo local.

 Este serviço, inclusive, terá continuidade nos próximos dias, mas na sede de uma das unidades do Centro de Atenção Psicossocial (Caps), localizado na rua Otávio Miguel da Silva, 187, no Parque Suzano. Haverá plantões com os profissionais no local e também em instituições parceiras. Um dos objetivos, inclusive, é trabalhar psicologicamente o retorno dos alunos à rotina escolar em breve.

Com a publicação do decreto, a Secretaria de Educação de Suzano comunica que as aulas na rede municipal de ensino foram suspensas nesta quinta e sexta-feira, 14 e 15 de março, em memória às vítimas do massacre na Escola Estadual Raul Brasil.

Na sexta-feira, os educadores se reunirão para definir as ações que serão tomadas junto aos 26 mil alunos das escolas públicas municipais, a partir da próxima segunda-feira (18/03), para conscientizar e combater a violência e o assédio moral, visando estabelecer uma cultura de paz.

O trabalho será realizado com equipes de psicólogos. Eles irão atuar junto aos colegas das vítimas e familiares, bem como estudantes das demais unidades das redes estadual e municipal, de forma continuada.

 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias