Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Quarta 13 de Dezembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 13/12/2017
mrv

Índice de chuva de abril é 30% maior que no ano passado no Alto Tietê

03 MAI 2015 - 08h01

 Os índices de chuvas no Sistema Alto Tietê aumentaram cerca de 30% em abril se comparado com o mesmo período do ano passado. Foram 116,8 milímetros no acumulado mensal deste ano contra 89,8 milímetros de 2014. O índice representa ainda 16,5% a mais que a média histórica do mês que é de 97,4 milímetros.

Se compararmos o quadrimestre de 2015, o Sistema Alto Tietê recebeu 39,5% a mais de chuvas do que o mesmo período de 2014. Este ano, choveu 711 milímetros de janeiro a abril contra 509,7 milímetros do ano passado. Além de abril, os meses de fevereiro e março também superaram a média histórica.

Em fevereiro, a quantidade de chuvas atingiu 304 milímetros. O esperado era de 192.

Para o mês de março o aguardado era de 172,4 milímetros e o atingido foi de 179,1 milímetros.

Somente janeiro não atingiu o esperado. O mês ficou com chuvas 63,6% abaixo da média. O estimado era de 251,5 milímetros em chuvas e o acumulado do mês foi de apenas 91,5 milímetros. Atualmente, o volume de água armazenado no Sistema Alto Tietê permanece estável em 22,3%. Em janeiro essa porcentagem era de 10,6%, ou seja, em três meses houve um aumento de mais de 10%. Mesmo com o aumento das chuvas e com a situação classificada como estável, o reservatório ainda apresenta porcentagem menor do que em abril de 2014, quando operava com 36% de sua capacidade. Os dados são da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

Para o mês de maio, a Sabesp espera uma quantidade de 59,6 milímetros de chuvas. Em 2014, o mês acumulou somente 33,3 milímetros no índice de pluviometria. De acordo com o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC), a probabilidade de chuvas para hoje em Suzano é de apenas 5%.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias