Envie seu vídeo(11) 97569-1373
terça 22 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 22/09/2020
PMMC COVID SAÚDE
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO

Centro de Apoio à Vítima

10 AGO 2020 - 23h59
O Centro de Referência e Apoio à Vítima (Cravi) é um programa da Secretaria da Justiça e Cidadania, criado em julho de 1998 pelo Governo do Estado de São Paulo, para dar apoio às vítimas diretas e indiretas de crimes contra a vida, e assim dar eficácia ao artigo 245 da Constituição Federal e ao artigo 278 da Constituição Estadual.
 
Tem como missão: ser referência para ações e políticas públicas que visam a superar os ciclos de violência e promover reconhecimento, cidadania e acesso à justiça e aos direitos de vítimas de crimes violentos.
 
Em Suzano, a unidade do Cravi vem realizando atendimento desde o final do ano passado.
 
Só para se ter uma ideia, em pouco mais de oito meses, o Cravi bateu a meta de 300 atendimentos no ano e realizou cerca de 350 acolhimentos desde o início dos trabalhos, ocorrido em novembro de 2019. Em 12% dos casos, feminicídios ou violência doméstica foram os motivos.
 
Vivendo o primeiro agosto desde sua inauguração, o centro participa do “Agosto Lilás”, mês de conscientização pelo fim dos casos de violência contra a mulher no Brasil. Várias ações estão sendo programadas pelo Cravi neste mês, incluindo entrega de fitas e lives destacando a importância da Lei Maria da Penha, sancionada em 7 de agosto de 2006.
 
O Cravi oferece atendimento público e gratuito às vítimas e seus familiares. Qualquer cidadão que tenha passado por uma situação de violência de qualquer natureza, inclusive violência doméstica, será acolhido no serviço por uma equipe interdisciplinar, especializada em realizar a triagem dos casos.
 
A equipe é composta por assistente social, psicólogos e estagiários das respectivas áreas. Esses profissionais são especialistas no atendimento às vítimas de crimes violentos, que na sua maioria são sobreviventes, ou familiares que perderam seu ente querido assassinado. É um serviço de portas abertas. 
 
Apesar de estar engajada na campanha, a unidade tem atendimentos voltados aos casos de homicídio, tentativa de homicídio e feminicídio. 
 
Em Suzano, houve aumento de acolhimentos na unidade durante a pandemia. Em junho, foram realizados 110 atendimentos – quase um terço do total - que visaram vários cuidados diferentes. Para efeito de comparação, maio teve apenas 19 acolhimentos.
 
O aumento significativo em junho ocorreu por conta da divulgação do Cravi. Ela destacou que a procura pelo serviço tem crescido a cada mês.
 
O Cravi de Suzano fica instalado no subsolo do Paço Municipal da cidade.
 
Nas unidades do Cravi são disponibilizados espaço “sigiloso e acolhedor para apoiar, escutar e cuidar do cidadão exposto ao sofrimento causado pela violência”. Por meio do atendimento presencial, é oferecido apoio psicossocial e orientação jurídica, por meio de parcerias estabelecidas com o Ministério Público do Estado de São Paulo e a Defensoria Pública do Estado de São Paulo. 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias