Envie seu vídeo(11) 4745-6900
terça 28 de junho de 2022

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 28/06/2022

Mutirão de cirurgias

26 MAI 2022 - 05h00

A quantidade de exames e cirurgias que ficou “represada” por causa dos dois anos da pandemia da Covid-19 preocupa as autoridades municipais, estaduais e federal.
A pandemia ainda não terminou, mas os casos de contaminação e mortes caíram. 
Os hospitais, postos de Saúde e Unidades de Pronto-Atendimento voltaram a realizar atendimento de forma a concluir os atrasos de marcações de consultas.
Há uma preocupação com esse atraso. A fila dos pacientes que aguardam a realização de exames, consultas e outros atendimentos médicos só cresceu.
Em São Paulo, uma estratégia foi montada esta semana.
O Estado anunciou o Mutirão das Cirurgias para zerar a fila de mais de 538,1 mil cirurgias cadastradas na Central de Regulação (Cross). Para acabar com a demanda reprimida, haverá cirurgias extras na rede estadual, remuneração dobrada nos hospitais do SUS e a contratação de serviços privados.
É importante se buscar um caminho para lançar o mutirão das cirurgias, que começa pela rede estadual, através dos hospitais próprios. 
Com duração prevista para quatro meses, contempla 54 cirurgias ofertadas no Sistema Único de Saúde em 7 especialidades, como do aparelho circulatório, visão, digestivo e abdominais, osteomolecular e geniturinário, das glândulas endócrinas e em nefrologia. Sem as ações do Mutirão, o Estado levaria cerca de dois anos para atender toda a demanda reprimida.
Uma das estratégias do Governo de SP é pagar um valor adicional de 100% do que já é pago pela Tabela SUS do Ministério da Saúde para os 54 procedimentos nos serviços municipais, filantrópicos e santas casas do Estado. Assim, cada hospital público receberá o dobro da tabela para cada cirurgia realizada. As unidades também receberão um valor adicional para a realização das consultas de avaliação e exames pré-cirúrgicos.
Esta remuneração diferenciada na rede pública começa a valer em todo o Estado a partir do dia 1º de junho e terá um investimento de R$ 350 milhões do Tesouro Estadual. Todos os procedimentos realizados pela rede a partir desta data serão remunerados com o dobro da tabela SUS. O recurso é um incentivo para a retomada dos procedimentos na rede pública e para que os hospitais tenham condições de até triplicar sua capacidade cirúrgica.
Será publicado nesta quinta-feira (26) no Diário Oficial do Estado um chamamento público para a contratação destes procedimentos em serviços privados de todas as regiões.
A iniciativa é muito importante é preciso, sem dúvida, ser colocada em prática. 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias