Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Quarta 22 de Novembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 22/11/2017
mrv

Ferraz é afetada pelo atraso no repasse para gestão do Bolsa Família

11 JUL 2015 - 08h00

 Ferraz de Vasconcelos foi uma das cidades afetadas pelo atraso do repasse para gestão do programa federal Bolsa Família. Na contramão do cenário nacional, outras cidades do Alto Tietê não sofreram com a transferência de verba da União. Segundo as prefeituras de Suzano e de Mogi das Cruzes, nenhuma notificação ou queixa por parte dos beneficiários foi oficializada até o momento. As demais cidades da região também foram procuradas pela reportagem para falar sobre a questão, mas até o fechamento desta matéria não se pronunciaram.

De acordo com a Prefeitura de Ferraz, o último repasse feito pela União ocorreu em fevereiro. O montante corresponde a outubro de 2014. O atraso na transferência do Bolsa Família para prefeituras e estados de todo o País se refere a 2015, uma vez que diversas administrações receberam neste ano a verba referente ao último trimestre do ano passado. Além disso, os atrasos atrapalham a checagem da frequência de crianças nas escolas e postos de saúde e a atualização de cadastros.

Segundo o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), os repasses estavam atrasados, no entanto, os recursos para o pagamento dos benefícios estão garantidos e em fase de regularização. "Em 12 anos de vida do programa, nunca houve atraso nesses pagamentos. O Bolsa Família, além de uma política de Estado, é um compromisso deste governo (PT)", destaca.

Ainda segundo o MDS, o repasse seria regularizado até ontem, quando deveriam ser pagos R$ 40,9 milhões às prefeituras. "Os mecanismos de controle do programa, também apoiados pelos recursos referentes à gestão do Bolsa Família, estão em pleno funcionamento. Em abril deste ano, o Ministério e as prefeituras concluíram mais um ciclo de revisão cadastral e 449 mil famílias tiveram o benefício cancelado por terem melhorado de vida", aponta.



REGIÃO

A Prefeitura de Mogi disse por meio de nota ser uma das cidades que não foi afetada pelo problema. A administração destaca que não teve notícias relacionadas à diminuição ou cortes de repasses do programa na cidade. "Essa gestão é feita diretamente pela União, mas sempre que há algum problema as pessoas procuram os equipamentos da Assistência Social, o que não ocorreu até o momento", reforça.

Suzano também destaca que não registrou nenhum problema quanto aos repasses de recursos.

Em maio, o Ministério do Desenvolvimento Social repassou R$ 406.963.837 às 10 cidades do Alto Tietê. Hoje, a região possui 72.821 beneficiários do programa. Em média, são pagos entre R$ 138,70 e R$ 195,15 a cada família.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias