Envie seu vídeo(11) 4745-6900
quinta 26 de maio de 2022

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 26/05/2022
COVID CENTRO MÉDICO
CAMPANHA INSTITUCIONAL 2022 - PI 49989 TOPO

Sindicatos cobram maior proteção contra Covid para ferroviários e passageiros

Entidades exigem melhorias e alerta riscos com aumento de casos de Influenza e Covid-19

Por Matheus Cruz - de Suzano16 JAN 2022 - 08h00
Sindicatos cobram maior proteção contra Covid para ferroviários e passageirosFoto: Regiane Bento/DS
O Sindicato dos Ferroviários da Zona Sorocabana, que representa funcionários que atuam nas linhas da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) do Alto Tietê, cobra melhorias nos protocolos sanitários em decorrência do aumento de casos da síndrome gripal Influenza H3N2 e da Covid-19.
 
A entidade analisa que, com o aumento do número de pessoas com sintomas de gripe e Covid, a Companhia precisa tomar providências mais severas para coibir o avanço das contaminações, inclusive entre passageiros.
 
“Estamos pedindo que a CPTM reforce o uso de álcool em gel e máscaras PFF-2. Com o aumento de casos, não sabemos exatamente a proporção do que está por vir. Claro que a vacina ajuda muito, mas é preciso evitar novos casos e garantir a saúde de todos”, disse José Claudinei Messias, presidente do sindicato.
 
Segundo o representante da entidade, já foi pedido uma relação da quantidade de profissionais que neste momento já estão afastados em decorrência ou da Covid por sintomas da Influenza. A entidade também cobra um plano de contingência.
 
“Sabemos que já tem muitas pessoas afastadas, incluindo ferroviários, por isso já pedimos uma lista para saber quantos estão afastados neste momento. O número vai ser importante inclusive para sabermos quantos estão trabalhando, possivelmente com o acúmulo de funções”, destaca.
 
De acordo com o presidente da Sorocabana, o acúmulo de tarefas pode ocasionar processos futuros, já que segundo ele, existem estações sendo controladas por apenas um funcionário. “Sabemos que a culpa não é da empresa, mas é preciso agir, mostrar quais são os planos de contingência, quais ações serão tomadas. Estamos falando de riscos que envolvem os trabalhadores e os passageiros”, completa.
 
A cobrança também é fortalecida por representantes do sindicato Central do Brasil, que representa ferroviários atuantes na região. Segundo Valmir de Lemos, presidente da entidade, o alerta está ligado.
 
“É necessário colocar os funcionários em home office, e, os que trabalham por escala, receberem mais itens de segurança, como máscaras e álcool em gel”, conta. A Secretaria dos Transportes Metropolitanos está com "Operação Monitorada" desde o início da pandemia e atua com avaliação sistemática a cada faixa de horário, para atender a necessidade do cidadão. Lembrando que o sistema de trilhos foi projetado e construído para transportar alto fluxo de pessoas da origem ao destino, aglomerado de pessoas em grandes escalas.
 
A CPTM já opera com os intervalos médios em todas as linhas idênticos aos de antes da pandemia. A CPTM informou que adotou, desde o início da pandemia, medidas para ampliar a conscientização de combate à Covid-19 com emissão de mensagens de orientação alertando sobre a contaminação da doença, formas de prevenção, cuidado e percepção dos sintomas. 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias