Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quinta 21 de janeiro de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 20/01/2021
GOLDSTAR
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
CENTRO MÉDICO CLUBE DS  - OFTALMOLOGIA

Três cidades da região têm nota acima de 50 em competitividade

Levantamento tem por objetivo garantir serviços públicos de mais qualidade à população

Por Lucas Lima - de Suzano25 NOV 2020 - 23h15
Suzano aparece no ranking de Competitividade dos MunicípiosFoto: Wanderlei Costa/SecopSuzano
Três municípios do Alto Tietê ficaram com nota acima de 50 no Ranking de Competitividade dos Municípios, realizado pelo Centro de Liderança Pública (CLP), que analisa a capacidade competitiva de 405 cidades com mais de 80 mil habitantes do País. Outras três cidades da região também entraram na lista. O levantamento tem por objetivo garantir serviços públicos de mais qualidade à população.
 
Todas as cidades foram avaliadas a partir de 55 indicadores, distribuídos em 12 pilares temáticos e três dimensões consideradas fundamentais para a promoção da competitividade e melhoria da gestão pública dos municípios brasileiros. Os pilares são: sustentabilidade fiscal, funcionamento da máquina pública, acesso à saúde, qualidade da saúde, acesso à educação, qualidade da educação, segurança, saneamento e meio ambiente, inserção econômica, inovação e dinamismo econômico, capital humano e telecomunicações.
 
A cidade melhor ranqueada do Alto Tietê é Mogi das Cruzes. Com nota 53,40, o município está na 82ª posição. Na sequência vem Arujá em 86º lugar, com nota 53,19. Poá ficou na 140º colocação, com nota 50,31.
 
As três outras três cidades da região são Suzano, Ferraz de Vasconcelos e Itaquaquecetuba. A cidade suzanense registrou nota 48,80 e está na 176ª posição. Já Ferraz está em 261ª, com nota 43,83. Itaquá fecha a lista com nota 43,07, em 279ª lugar.
 
O diretor de Operações do CLP, Tadeu Barros frisou que o levantamento vai servir para melhorias de qualidade nas cidades. “Depois de nove edições do Ranking de Competitividade dos Estados decidimos ampliar a análise competitiva da gestão pública também para a esfera municipal. Os recém-eleitos podem obter um amplo mapeamento dos desafios, direcionando, de forma mais precisa, a atuação das lideranças municipais para planejamento e atuação para aquilo que é prioritário. Na outra ponta, além de atrair novas empresas, também é uma ferramenta para cidadãos avaliarem e cobrarem de forma eficiente o desempenho dos formuladores de políticas públicas”, completa.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias