Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Logo de aniversário de 60 anos
domingo 01 de agosto de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 01/08/2021

Violência contra a mulher

16 JUL 2021 - 05h00
A violência contra a mulher é um dos principais temas quando o assunto é segurança pública.
Um dos principais pontos a ser trabalhado pelas administrações é evitar que mulheres sofram violências, de quaisquer tipos. O Executivo precisa também proporcionar abrigo para aquelas que são vítimas de companheiros ou colegas de trabalho.
Com a pandemia da Covid-19 as mulheres ficaram mais expostas aos agressores. Devido a necessidade de se realizar o isolamento social, as vítimas precisaram passar mais tempo na presença dos agressores.
Nesta semana repercutiu no País o caso do DJ Ivis. Uma câmera flagrou o músico batendo na esposa, na frente do filho, da empregada e de um amigo. 
Ele foi preso. E ainda pediu na Justiça para que a esposa não comentasse sobre o caso, o que foi negado.
O DS trouxe na edição de ontem reportagem mostrando que a Delegacia da Mulher de Suzano (DDM) registrou um aumento de 14,47% no índice de Boletins de Ocorrência (B.O’s) abertos contra agressores entre os meses de maio e junho.
A reportagem traz que no mês de maio, a DDM apontou 76 B.O’s abertos, passando para 87 em junho. No acumulado desde o mês de janeiro, quando 109 ocorrências foram registradas, o cálculo chega a 562 boletins abertos contra os infratores.
Uma das atitudes mais importantes realizadas em ambito nacional foi a adoção do “X” em vermelho na palma da mão. Mulheres que sofrem qualquer tipo de violência deveriam riscar a letra X na palma da mão em vermelho. Por meio de campanhas nacionais, o símbolo já ficou reconhecido como um sinal de que a mulher sofre algum tipo de violência.
Outra atitude importante é a Patrulha Maria da Penha. Em qualquer sinal de perigo, as vítimas entram em contato com os guardas, que vão prontamente até o local. 
A Sala Rosa também é uma ferramenta importante no acolhimento às vítimas e fica localizada nas dependências da delegacia. No local, atendimento jurídico e psicológico é oferecido.
A Comissão da Mulher Advogada da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) Suzano também é uma das ferramentas que podem ser encontradas pelas vítimas de agressões domésticas. Desde o início da pandemia, o órgão passou a reforçar os atendimentos psicológicos já que houve um aumento no registro de agressões durante a pandemia. 
Em ambito nacional, o Senado aprovou nesta terça-feira (13), por unanimidade, projeto que combate a violência política contra a mulher. Entre as ações previstas no texto, estão a criminalização de abusos e a determinação de que o enfrentamento a esse tipo de violência faça parte dos estatutos partidários. O PL 5.613/2020 segue para sanção presidencial.
Por isso, é importante que as administrações municiapais, estaduais e federal realizem mais campanhas, elaborem mais programas e combatam a violência contra mulheres, como a Patrulha Maria da Penha e o sinal em X na mão.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias